Bolsa Sonae, Galp e BCP dão primeiros ganhos numa semana ao PSI-20

Sonae, Galp e BCP dão primeiros ganhos numa semana ao PSI-20

A praça portuguesa interrompeu uma série de quatro sessões de quedas, sustentada em resultados e a aproveitar a maré de ganhos nos índices europeus depois do resultado das eleições na Holanda e da decisão da Fed.
Sonae, Galp e BCP dão primeiros ganhos numa semana ao PSI-20
Bloomberg
Paulo Zacarias Gomes 16 de março de 2017 às 16:46

O crescimento superior a 20% dos lucros da retalhista liderada por Paulo Azevedo levou os títulos da Sonae a encerrarem o dia com valorizações, que somadas aos ganhos do BCP e da Galp contribuíram para levar o índice accionista português de referência às primeiras valorizações em cinco sessões.

O PSI-20 terminou as negociações desta quinta-feira, 16 de Março, nos 4.604,61 pontos, com uma apreciação de 0,7%. Entre os títulos, 13 avançaram em relação à sessão anterior e quatro caíram.

Do lado do ganhos, o BCP fechou em 16,13 cêntimos por título, um ganho de 1,9% que colocou os papéis do banco liderado por Nuno Amado em máximos de mais de um mês (7 de Fevereiro).

Já o recuo da actividade da construtora Mota-Engil, patente nos dados preliminares de 2016 revelados depois do encerramento da sessão de ontem - quebra de 9% nas receitas e descida de 16% da dívida líquida – levou a empresa liderada por Gonçalo Moura Martins para uma descida de 3,52% para 1,7 euros, a maior do índice.

O CaixaBI considera que a queda do volume de negócios da construtora foi "significativa" e pior que o esperado e a dívida líquida não caiu tanto quanto aguardado, evidenciando um "maior aumento das necessidades de fundo de maneio".

O aumento de 22,7% nos lucros da Sonae, para os 215 milhões de euros, levou os títulos da retalhista para um ganho de fim de dia de 2,5% para 0,86 euros, a travar três sessões consecutivas de perda de valor. O Haitong, na sua análise às contas da empresa, refere que o EBITDA ficou 4% acima das expectativas, enquanto o CaixaBI refere que o mesmo indicador ficou em linha com o esperado nas unidades de retalho alimentar e não-alimentar.

A travar maiores subidas estiveram os CTT, que perderam 0,19% para 4,814 euros, depois de o BPI ter reduzido o preço-alvo para finais de 2017 de 6,8 euros  para 6,3 euros ("risco reduzido"), apesar de ter melhorado a recomendação de "neutral" para "comprar".

Também a condicionar pela negativa estiveram a Jerónimo Martins (com uma perda de 0,48% para 15,53 euros) e a EDP Renováveis (que cedeu 0,15% para 6,11 euros). Fora do índice, nota para a Cimpor, que encerrou a afundar 8,16% para 0,349 euros, em mínimos de 22 de Fevereiro, depois de a cimenteira ter registado prejuízos de 787,6 milhões de euros no ano passado, penalizada pela actividade no Brasil. 

Os ganhos da bolsa de Lisboa acompanharam o sinal verde no resto das praças financeiras do Velho Continente, depois de afastada a incerteza geopolítica relacionada com o desfecho das eleições da Holanda, com o partido de extrema-direita PVV a ser derrotado pela formação política europeísta VVD, do actual primeiro-ministro Mark Rutter.

As periféricas do Sul do euro, Milão e Madrid, terminaram a sessão com ganhos superiores a 1%, enquanto a praça de Amesterdão ganhou 0,56%.

A influenciar as negociações está ainda a decisão de ontem de aumentar, pela terceira vez desde 2008, os juros nos EUA, em 25 pontos base, nos pressupostos de uma evolução positiva da maior economia do mundo e de que os futuros aumentos do preço do dinheiro sejam cadenciados como até aqui. Em Nova Iorque, os índices oscilam entre ganhos e perdas.


(Notícia actualizada às 17:00 com mais informação)




A sua opinião24
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 16.03.2017

E digo mais, acho um roubo pagar na casa dos milhares de euros por um único trade, como já me tem acontecido: governo, intermediários desta choldra, etc, este país não tem concerto. Mas não desisto do meu país. Não seria possível ter um governo mais normalzinho em vez destes pindéricos armados em ditadores de esquerda ?

SABONETE H2SO4 16.03.2017

Penso que as SONAES, todas elas estão a ser bem geridas!A SONAE SGPS,é um facto é um aglomerado que tudo ali funciona,A SONAE CAPITAL,sem dívidas sempre com bons dividendos a Dra CLAUDIA tem a casa bem arrumada,a NOS,telecomunicações é um,potencial a MODELO E CONTINENTE é lider no ramo a sonaecom .

H2SO4 16.03.2017

Digam o que disserem,hoje mais uma vez ficou demonstrado que a SONAE SGPS é uma dos melhores títulos do PSI20, senão vejamos todo o potencial que tem na sua estrutura em relação á robustez do seu balanço! Não fosse toda a especulação de que é vitima o seu valor seria bem mais elevado.Vamos acreditar

Anónimo 16.03.2017

Este espaço é só para os esquerdistas insultarem, não pode haver conotações políticas, se não os esquerdistas ficam marrecos de tanto enfardarem. Cumprimentos para o L. A. A ver se isto anda, que para trás só os caranguejos, os esquerdistas...e a burra que os carrega...!!; )

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub