Research Sonae junta-se à Nos e Corticeira Amorim nas "balas de prata" do Haitong

Sonae junta-se à Nos e Corticeira Amorim nas "balas de prata" do Haitong

O Haitong alterou a sua lista de acções favoritas na Península Ibérica. Continua a haver três "balas de prata" portuguesas, mas não são as mesmas.
Sonae junta-se à Nos e Corticeira Amorim nas "balas de prata" do Haitong
A empresa de Paulo Azevedo entrou nas eleitas do Haitong
Ricardo Castelo
Nuno Carregueiro 18 de janeiro de 2017 às 10:20

O Haitong publicou esta quarta-feira a lista de acções favoritas na Península Ibérica para o primeiro trimestre, que continua a ser composta por seis cotadas (três portuguesas e três espanholas).

 

As "top picks" do banco, que o próprio apelida de "balas de prata", são Acciona, Corticeira Amorim, Ence, Euskaltel, Nos e Sonae. As três primeiras já faziam parte da lista e as três últimas são novas.

 

A Sonae é assim a única entrada portuguesa nas "balas de prata" do Haitong, substituindo os CTT, que faziam parte da lista para o quarto trimestre.

 

No "research" a que o Negócios teve acesso, o banco de investimento justifica a inclusão da Sonae "pois além da avaliação atractiva, pensamos que 2017 pode ser um ano de melhoria na rentabilidade da SR, quer na área de electrónica, quer na área de vestuário". A Sonae SR é a divisão de retalho não alimentar da empresa liderada por Paulo Azevedo, detendo marcas como a Worten e a Zippy.

 

O Haitong avalia as acções da Sonae em 1,08 euros, o que pressupõe um potencial de valorização de 29% tendo em conta a cotação de fecho de terça-feira, 17 de Janeiro.

 

O banco assinala que "há uma luz ao fundo do túnel" para a SR e que a cotada "parece barata" tendo em conta o múltiplo entre a cotação e os lucros por acção estimado para 2017 de 10,6 vezes e o "dividend yield" de 5,1%.

 

"Devemos assistir a uma nova evidência de ‘turnaround’ do negócio de retalho não alimentar, beneficiando de melhores margens no negócio de electrónica e uma contribuição positiva da Salsa e da Losan", refere o "research". O Haitong espera também "desenvolvimentos positivos" na SportZone, uma unidade que gera prejuízos e que os investidores não estão a atribuir qualquer valor.

 

Corteira e Nos continuam

 

As outras cotadas portuguesas que continuam na lista são a Corticeira Amorim (preço-alvo de 11 euros) e a Nos (preço-alvo de 7,6 euros), sendo que as duas cotadas registaram um desempenho negativo no quarto trimestre. A Corticeira desceu 2% e a Nos recuou 10,2%.

 

O Haitong justifica a manutenção da Nos pelo facto de "acreditarmos que os riscos diminuíram substancialmente" depois de assinado o acordo com os restantes operadores para a partilha de conteúdos desportivos.

 

"Depois de três anos de forte investimento, pensamos que chegou a altura de uma melhoria no ‘cash flow’, refere o Haitong. De 85 milhões de euros entre 2014 e 2016, deverá passar para 548 milhões de euros entre 2017 e 2019.

 

Já a Corticeira Amorim continua a beneficiar de um "forte momento", devido à conquista de quota de mercado, aumento da produção de vinho e regresso da preferência da cortiça no mercado de rolhas. Além disso, a acção "ganhou um interesse renovado" depois do aumento do ‘free float’", refere o Haitong.

As "balas de prata" do Haitong:

 

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.




A sua opinião12
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado gspvc 18.01.2017

Sonae Bala de Prata, há dois anos atrás algumas notas de research como a Haitong davam a esta um potencial de subida na ordem destes valores, estavam a 1.17 passado essas notas de research vieram a descer e até então nunca se aproximaram do 1 euro.

comentários mais recentes
Anónimo 20.01.2017

A SONAE teve a maior queda no PSI 20

gspvc 18.01.2017

Sonae Bala de Prata, há dois anos atrás algumas notas de research como a Haitong davam a esta um potencial de subida na ordem destes valores, estavam a 1.17 passado essas notas de research vieram a descer e até então nunca se aproximaram do 1 euro.

Anónimo 18.01.2017

NOS, SONAES (TODAS) GLINT, T.DUARTE, INAPA, COFINA ,IMPRESA,GLINT,BCP, BPI,REN ETC...ETC...TUDO LIXO PARA O MESMO SACO ,É SÓ PARA PREENCHER O PSI: PERGUNTO-ME O QUE LÁ FAZEM? SÃO EMPRESAS QUE NEM FO.......DEM ,NEM SAEM DE CIMA, SÃO EMPRESAS QUE PREJUDICAM O PEQUENO ACIONISTA E OCUPAM O LUGAR OUTRAS.

ABCDEF1 18.01.2017

Ó anóninimo: a NOS, qual bala de chumbo qual car... é mas é uma bala de ferro ferrugento

ver mais comentários
pub