Analistas
Sonae é a mais afectada por taxa alimentar na bolsa
27 Abril 2012, 13:31 por Diogo Cavaleiro | diogocavaleiro@negocios.pt
1
Enviar por email
Reportar erro
0
BESI considera que taxa de imposto na distribuição poderá pressionar, especialmente, a Sonae. Impacto sobre Jerónimo Martins e Dia é "irrelevante", diz a casa de investimento.
A taxa alimentar que vai incidir sobre as empresas de distribuição vai afectar a cotação da Sonae em bolsa, consideram os analistas do BESI e do BPI.

O valor fixado para este imposto sobre a distribuição alimentar, ontem anunciado pela ministra Assunção Cristas, poderá ser entre 5 a 8 euros por metro quadrado por ano.

“[É uma notícia] negativa para as retalhista alimentares nacionais, nomeadamente a Sonae”, escreve o BES Investimento na nota de “research” diária. “Impacto neutral a negativo para a Sonae e neutral para o Dia e Jerónimo Martins”, consideram os especialistas do BPI Equity Research.

Assumindo uma taxa de imposto média de 6,5 euros por metro quadrado ao ano, o BESI prevê um custo de 3,6 milhões de euros por ano ou 2,5 milhões de euros após imposto para a dona dos supermercados Continente.

“O último irá representar cerca de 5% dos resultados estimados para 2012 da Sonae”, salientam Filipe Rosa e Manuel Albuquerque na nota da casa de investimento.

De acordo com os cálculos do BESI, isto “representa uma erosão de valor de 11,7 milhões de euros ou 2% da capitalização bolsista de hoje”. A Sonae vale hoje em bolsa 826 milhões de euros, com as acções a deslizar 0,24% para 0,413 euros por acção.

O BPI Equity Research, igualmente na nota diária, indica que a Sonae irá ter um encargo de 3,5 milhões de euros (próximo dos 3,6 milhões previstos pelo BESI), devido ao novo imposto e ao facto de a empresa de Paulo Azevedo não conseguir ser capaz de transferir este impacto para os preços finais.

JM sofre impacto “irrelevante”

“Considerando a Jerónimo Martins, isto irá representar cerca de 3,7 milhões de euros num encargo em dinheiro (tendo em conta também a área de venda do Recheio), que nós já temos reflectido nas nossas estimativas”, adiantam José Rito e Bruno Bessa, do BPI.

O BESI aponta na mesma direcção: “O imposto também se aplica ao Dia e à Jerónimo Martins, mas acreditamos que o impacto é irrelevante”.

Em bolsa, a empresa liderada por Pedro Soares dos Santos cai 2,81% para negociar nos 13,665 euros por acção, depois de ontem ter apresentado lucros abaixo do previsto pela maioria dos analistas.


Nota: A notícia não dispensa a consulta das notas de “research” emitidas pelas casas de investimento, que poderão ser pedidas junto das mesmas. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação às cotadas analisadas, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar as notas de “research” na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.

1
Enviar por email
Reportar erro
0
pesquisaPor tags: