Bolsa S&P 500 atinge patamar mítico dos 2.500 pontos

S&P 500 atinge patamar mítico dos 2.500 pontos

As bolsas norte-americanas encerraram em alta, com o Standard & Poor’s 500 a marcar um novo máximo histórico e a chegar à fasquia dos 2.500 pontos. Também o Dow Jones e o Nasdaq Composite chegaram a território nunca antes explorado.
S&P 500 atinge patamar mítico dos 2.500 pontos
Reuters
Carla Pedro 15 de setembro de 2017 às 21:14

O Standard & Poor’s 500 atingiu hoje um novo máximo de sempre, que foi também o valor de fecho, ao somar 0,18% para 2.500,23 pontos, superando assim a mítica fasquia dos 2.500 pontos.

 

Também o Dow Jones encerrou a sessão em alta, a ganhar 0,29% para 22.268,34 pontos, depois de ter chegado a marcar um novo máximo histórico durante a negociação, nos 22.275,02 pontos.

 

Ambos os índices estiveram a ser sustentados pela subida dos preços do petróleo, que em Londres se manteve em máximos de cinco semanas.

 

O índice tecnológico Nasdaq Composite também fechou a ganhar terreno, ao valorizar 0,30% para 6.448,47 pontos. A meio da sessão tocou num nível nunca antes visto, ao chegar aos 6.464,27 pontos.

 

Os receios em torno das tensões com a Coreia do Norte, depois de ontem o regime de Kim Jong Un ter lançado um novo míssil balístico que sobrevoou território japonês, continuou a pesar na negociação, mas o facto de ainda não se ter materializado qualquer das ameaças de Pyongyang acabou por dar mais confiança aos investidores numa semana em que o furacão Irma não causou os estragos previstos por ter diminuído de intensidade na passagem na Florida.

 

Os investidores esperavam uma sessão de altos e baixos do outro lado do Atlântico devido ao facto de ser dia de bruxaria quádrupla - que é quando se dá o vencimento simultâneo de contratos de futuros e opções sobre índices e acções, tanto nos EUA como na Europa. O nome do dia faz referência aos quatro vencimentos e às bruxas.

 

Este é um dia historicamente mais volátil, segundo os analistas, especialmente nas últimas horas de negociação. Isto porque os investidores que precisam de fechar posições podem movimentar o mercado a qualquer preço, levando as cotações a oscilarem erraticamente.

 

No entanto, a negociação acabou por se revelar constante, com os índices a manterem-se em território positivo desde a abertura, se bem que sem ganhos expressivos.

 

O ‘quadruple witching’ ocorre quatro vezes por ano, nas terceiras sextas-feiras dos meses de Março, Junho, Setembro e Dezembro.



(notícia actualizada às 23:49)




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub