Bolsa S&P 500 em baixa pela quarta sessão consecutiva

S&P 500 em baixa pela quarta sessão consecutiva

As principais bolsas norte-americanas encerraram em terreno negativo na última sessão de Janeiro, com excepção do Nasdaq por via da força das tecnológicas. O clima de incerteza em torno das decisões de Trump está a trazer mais cautela aos investidores.
S&P 500 em baixa pela quarta sessão consecutiva
Reuters
Carla Pedro 31 de janeiro de 2017 às 22:21

O índice industrial Dow Jones encerrou a ceder 0,54%, para 19.864,78 pontos, já mais distante do patamar dos 20.000 pontos superado na quarta-feira da semana passada. No acumulado de Janeiro, ganhou 0,51%.

 

O Standard & Poor’s 500 acompanhou o movimento de descida, recuando 0,09% para 2.278,87 pontos, naquela que foi a quarta sessão consecutiva de perdas e a maior série de quedas desde as eleições presidenciais do passado dia 8 de Novembro. No entanto, o saldo do mês de Janeiro foi positivo, com um ganho de 1,78%.

 

O tecnológico Nasdaq Composite, em contrapartida, conseguiu subir ligeiramente, terminando a somar 0,02% para 5.614,78 pontos. Os bons resultados trimestrais das principais tecnológicas têm estado a sustentar o índice, que no cômputo do mês avançou 4,30%.

 

Apesar de as descidas não terem sido expressivas, sinalizam o menor ímpeto e optimismo por parte dos investidores.

 

Os bons resultados das empresas, nesta época de apresentação de contas, têm contribuído para o optimismo, mas já não está a ser suficiente, sobretudo devido a pressões pela via política. Das cotadas do S&P 500 que já apresentaram os resultados trimestrais, 73% superaram as estimativas dos lucros. Falta ainda conhecer os números de empresas como a Apple (que apresenta já hoje, após o fecho das bolsas), Facebook e Amazon.

 

As decisões e ordens executivas do presidente Donald Trump têm estado a suscitar receios, uma vez que há protestos um pouco por todo o mundo relativamente a alguns decretos, como o fecho de fronteiras aos nacionais de sete países de maioria muçulmana.

 

Os investidores estão especialmente atentos a esta evolução, uma vez que estava prometido que Trump começaria por visar medidas de fomento do crescimento económico. Em vez disso, o presidente tem-se focalizado no comércio e imigração – com a comunidade muçulmana sob forte escrutínio – e não há grande clareza relativamente aos impostos e à reforma das empresas, sublinhava ontem a Bloomberg.

 

O mercado está agora na expectativa da decisão de política monetária que será anunciada amanhã pela Fed, após a sua reunião mensal de dois dias – não se esperando que suba a taxa de juro directora. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub