Obrigações S&P: Referendo não tem impacto imediato no "rating" de Itália

S&P: Referendo não tem impacto imediato no "rating" de Itália

A agência de notação financeira Standard & Poor’s assinala que a actual constituição não impediu o Governo de Renzi de implementar importantes reformas estruturais em Itália.
S&P: Referendo não tem impacto imediato no "rating" de Itália
Nuno Carregueiro 05 de dezembro de 2016 às 10:48

A vitória do "não" no referendo às alterações constitucionais em Itália não tem qualquer impacto imediato na notação financeira da dívida do país. A conclusão é da Standard & Poor’s (S&P), que tem o "rating" de Itália em "BBB-" (último nível do grau de investimento), com "outlook" estável.

 

"Do ponto de vista da estabilidade política, acreditamos que as reformas propostas teriam potencialmente benefícios positivos. Contudo, o resultado negativo do referendo não tem um impacto imediato no perfil de crédito de Itália, uma vez que não tem implicações imediatas nas políticas económicas e orçamentais" do país, refere a nota da S&P, citada pelo Financial Times.

     

A S&P junta-se assim às vozes de vários responsáveis, que desvalorizam o impacto do referendo em Itália, descartando que possa abrir uma nova crise na Zona Euro.

 

Tal como tinha prometido, Matteo Renzi demitiu-se depois de confirmada a derrota no referendo, abrindo uma crise política no país que deverá resultar em eleições antecipadas ou à formação de um governo provisório.

 

Contudo, a S&P salienta que apesar de as alterações à constituição terem ficado pelo caminho, a actual estrutura do parlamento não impediu que o actual governo implementasse diversas reformas estruturais nas áreas de educação, emprego e sector financeiro.

 

Apesar da visão despreocupada da S&P, os investidores mostram nervosismo na sessão desta segunda-feira, com os juros da dívida italiana a 10 anos a subirem 11 pontos base para 2,01%. Já no mercado accionista a situação é bem diferente, com os bancos italianos a negociarem em alta. Os índices das principais bolsas europeias estão também em terreno positivo, com vários deles a avançarem mais de 1%.

Caso a S&P revisse em baixa o "outlook" do rating de Itália para negativo, ficaria a um pequeno passo de colocar a notação financeira em território de "lixo" (BB+).




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub