Bolsa Subida da Galp trava queda da bolsa nacional

Subida da Galp trava queda da bolsa nacional

A bolsa nacional conseguiu fechar a sessão em alta, sustentada sobretudo pelo ganho superior a 1,5% da Galp Energia, num dia em que a EDP perdeu mais de 1%.
Subida da Galp trava queda da bolsa nacional
Pedro Catarino/CM
Sara Antunes 10 de janeiro de 2018 às 16:46

O PSI-20 fechou a sessão a subir 0,07% para 5.657,95 pontos, com nove cotadas em alta, seis em queda e três inalteradas. Isto num dia em que Portugal foi ao mercado, tendo realizado uma emissão de dívida a 10 anos, sindicada, colocando quatro mil milhões de euros, e pago 2,137%. 

 
Entre o resto das praças europeias, a tendência foi de quedas generalizadas. A contribuir para esta evolução das bolsas está um sentimento negativo que imperou esta sessão entre os investidores, muito devido à especulação em torno da retirada de estímulos por parte dos bancos centrais a nível mundial. O anúncio de corte de estímulos por parte do Banco do Japão, que está a elevar a especulação em relação a outros bancos centrais, e o possível corte de compra de dívida dos EUA por parte da China, justificam alguma apreensão dos investidores.

 

Na praça lisboeta, a Galp Energia foi a grande responsável pela subida do índice, tendo apreciado 1,58% para 16,095 euros, num dia em que os preços do petróleo voltaram a aproximar-se do 70 dólares por barril, em Londres, o que corresponde ao valor mais elevado desde Maio de 2015. A contribuir para a subida recente tem estado a queda consecutiva das reservas de petróleo dos EUA.

 

Ainda na energia, a EDP recuou 1,08% para 2,92 euros, enquanto a REN perdeu 0,71% para 2,518 euros. Já a EDP Renováveis subiu 0,43% para 7,00 euros.

 

A travar a subida da bolsa esteve também a Jerónimo Martins, que recuou 0,21% para 16,76 euros. Já a rival Sonae SGPS fechou inalterada face à última sessão nos 1,193 euros.

 

Destaque para as acções da Semapa, que atingiram esta sessão um máximo histórico de 18,96 euros. Os títulos fecharam a sessão a valorizar 1,07% para 18,86 euros. As acções da Semapa estão a beneficiar do entusiasmo em torno da Navigator, que encaixou uma mais-valia mais de 16 milhões de euros com a venda do negócio de pellets nos EUA, um montante que os analistas acreditam que poderá ser, em parte, distribuído pelos accionistas através do pagamento de dividendos.

 

Já a Corticeira Amorim, que anunciou esta quarta-feira a compra de 70% da sueca Elfverson por 5,5 milhões de euros, fechou estável nos 10,90 euros. Hoje também, o BPI emitiu uma nota de análise, em que reviu o preço-alvo para as acções da Corticeira Amorim, para reflectir a revisão negativa das estimativas do EBITDA e da dívida, assim como a descida do risco de Portugal.


(Notícia actualizada com mais informação)