Bolsa Subida livre em Wall Street. Tecnológicas consolidam posição de melhor sector do ano

Subida livre em Wall Street. Tecnológicas consolidam posição de melhor sector do ano

As principais bolsas norte-americanas marcaram esta terça-feira novos máximos históricos. A contribuir esteve o sector com melhor desempenho bolsista do outro lado do Atlântico em 2017: o tecnológico.
Subida livre em Wall Street. Tecnológicas consolidam posição de melhor sector do ano
Carla Pedro 21 de novembro de 2017 às 21:18

Os principais índices bolsistas dos EUA entraram hoje em território nunca antes explorado. Uma vez mais, foram as tecnologias que deram o maior impulso.

 

O Standard & Poor’s 500 encerrou a somar 0,65% para 2.599,03 pontos, depois de a meio da sessão ter atingido um máximo de sempre nos 2.601,19 pontos.

 

Por seu lado, o Dow Jones avançou 0,69% para 23.590,83 pontos, tendo na negociação intradiária estabelecido um novo recorde nos 23.617,80 pontos.

 

O tecnológico Nasdaq Composite não foi excepção, até porque foi o seu sector que mais impulsionou o mercado esta terça-feira. Fechou a valorizar 1,06% para 6.862,48 pontos e durante a jornada tocou num nível nunca antes visto: os 6.862,66 pontos.

 

No acumulado do ano o índice S&P das tecnologias ganha 38,5%, mais do que qualquer outro sector – e de longe. O índice geral S&P 500, por exemplo, valoriza 16,1% no saldo anual.

 

A Apple foi uma das cotadas que mais animou as tecnologias, dando o mote ao movimento de subida. Encerrou com um ganho de 1,86% para 173,14 dólares, muito perto do máximo histórico de 176,24 dólares atingido em inícios do mês.

 

A ajudar a tecnológica da maçã liderada por Tim Cook esteve o anúncio de que esta solidificou a sua posição firme no mercado dos smartphones. Com efeito, a Apple captou 72% do total dos lucros dos smartphones na América do Norte durante o terceiro trimestre.

 

O analista T. Michael Walkley da Canaccord Genuity disse ao U.S. News que o seu mais recente "research" sobre os iPhones, especialmente o X, aponta para que os investidores da Apple tenham uma feliz época natalícia.

 

"Estamos convictos de que a procura inicial de iPhone X é bastante forte, com a redução dos tempos de entrega a indicarem que a produção está a acelerar, pelo que mantemos a nossa estimativa de 78,5 milhões de iPhones vendidos no último trimestre", sublinhou Walkley.

 

A sustentar as bolsas esteve também o sector dos cuidados de saúde, especialmente devido aos bons resultados da fabricante de aparelhos médicos Medtronic – cujas acções dispararam mais de 5% depois de a empresa reportar contas acima do esperado e ter reiterado as suas estimativas para o conjunto do ano.

 

Recorde-se que a semana nos EUA será marcada pelo Dia de Acção de Graças, que será comemorado na quinta-feira. Nesse dia, as bolsas estarão encerradas e na sexta-feira irão fechar mais cedo do que o habitual.

 

Amanhã, os investidores vão estar sobretudo atentos à divulgação das actas da última reunião de política monetária da Reserva Federal norte-americana.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar