Bolsa Subida superior a 4% da EDP Renováveis garante valorização do PSI-20

Subida superior a 4% da EDP Renováveis garante valorização do PSI-20

A bolsa nacional encerrou no verde, impulsionada pelos forte ganhos da EDP Renováveis e pela Nos, que recuperou de mínimos de Janeiro de 2015. Na Europa, os índices sobem depois de três sessões de perdas.
A carregar o vídeo ...
A empresa liderada por Manso Neto foi a estrela da sessão
Rita Faria 24 de janeiro de 2017 às 16:45

A bolsa nacional encerrou em alta esta terça-feira, 24 de Janeiro, com o PSI-20 a valorizar 0,37% para 4.576,74 pontos. A EDP Renováveis e a Nos foram as cotadas que mais contribuíram para o desempenho positivo do principal índice nacional, numa sessão em que dez cotadas subiram, cinco desceram e três encerraram inalteradas.  

 

Na Europa, os principais índices também seguem com sinal verde, depois de o Supremo Tribunal britânico ter decidido que só o Parlamento de Londres poderá accionar o artigo 50.º do Tratado de Lisboa, que abrirá caminho à saída do Reino Unido da União Europeia.

 

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600 sobe 0,18% para 361,65 pontos, depois de três sessões consecutivas de quedas, com a forte subida das empresas do sector mineiro a compensar a descida das cotadas do sector das telecomunicações.

 

Por cá, a EDP Renováveis ganhou 4,38% para 5,96 euros, no dia em que a empresa-mãe se financiou em 600 milhões de euros, através de títulos com maturidade em Setembro de 2023, numa emissão que atraiu cerca de 2,2 mil milhões de euros de procura. Os títulos da eléctrica subiram 0,40% para 2,731 euros.

 

A forte escalada da EDP Renováveis acontece ainda depois de o BPI ter melhorado o preço-alvo para as acções em 4,5% para 8,15 euros e ter mantido a empresa na sua lista de favoritas.

 

A contribuir para a valorização do PSI-20 estiveram também a Nos, a Naviogator, a Altri e a Sonae. A operadora liderada por Miguel Almeida subiu 1,12% para 5,23 euros, depois de ter atingido mínimos de Janeiro de 2015 na sessão de ontem, enquanto a Sonae ganhou 1,08% para 83,9 cêntimos. 

No sector da pasta e do papel, a Navigator avançou 1,04% para 3,298 euros e a Altri subiu 1,76% para 4,099 euros, depois de ter atingido máximos de Janeiro de 2016 na sessão de segunda-feira. 

Por outro lado, a evitar maiores ganhos do PSI-20 esteve sobretudo o BCP. Os direitos de subscrição do aumento de capital desceram 9,09% para 80 cêntimos, arrastando as acções para um deslize de 3,83% para 15,08 cêntimos. 


(Notícia actualizada às 16:51)




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
ALTRI = BULL 24.01.2017

A Minha Altri está a dar-me tanto guito, e agora que ultrapassou os 4 euros, ui ui ui é que vai ser trepar por aí a cima!!!

Anónimo 24.01.2017

O Royal Bank of Canada atribuiu hoje um preço alvo à NOS de 9€ ... aproveitem, que o mercado não acordou para esta Acção, vai subir no curto prazo com um previsível anuncio de um aumento do dividendo. BNs.

pub
pub
pub
pub