Crédito Taxas de juro do crédito à habitação atingem novos mínimos

Taxas de juro do crédito à habitação atingem novos mínimos

As taxas de juro implícitas no crédito à habitação voltaram a cair, em Setembro, reflectindo as taxas Euribor e também os "spreads" mais baixos que a banca tem vindo a praticar.
Sara Antunes 21 de Outubro de 2016 às 11:18

A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação desceu para 1,047%, em Setembro, o que corresponde a um novo mínimo. Esta evolução reflecte o comportamento das taxas Euribor, que continuam em mínimos, mas também o alívio das condições concedidas pelos bancos, que têm vindo a reduzir os "spreads" nos financiamentos para a compra de casa.

 

Já "nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro implícita foi 2,009%, inferior em 0,047 pontos percentuais à observada em Agosto", revela o Instituto Nacional de Estatística (INE) esta sexta-feira, 21 de Outubro.

 

Além da queda dos juros, houve também uma redução da prestação média vencida para a globalidade dos contratos de um euro, com prestação a descer para 237 euros.

 

O capital médio em dívida também continua a diminuir, totalizando os 51.669 euros. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub