Bolsa Tensões entre Washington e Pyongyang mantêm Wall Street no vermelho

Tensões entre Washington e Pyongyang mantêm Wall Street no vermelho

As bolsas norte-americanas voltaram a fechar em baixa, pressionadas pelo escalar de tensões entre os EUA e a Coreia do Norte, o que fez disparar a volatilidade nos mercados.
Tensões entre Washington e Pyongyang mantêm Wall Street no vermelho
Reuters
Carla Pedro 09 de agosto de 2017 às 21:04

O Dow Jones encerrou a ceder 0,17% para 22.048,16 pontos e o Standard & Poor’s 500 fechou a recuar 0,04% para 2.474,02 pontos.

 

O índice tecnológico Nasdaq Composite seguiu a mesma tendência, tendo perdido 0,28% para se fixar nos 6.352,33 pontos.

 

A pressionar a negociação continuou a estar a escalada de tensões entre a Coreia do Norte e os Estados Unidos, com ameaças mútuas.

 

O índice de volatilidade continua a disparar, o que reflecte a incerteza nas bolsas.

 

Na terça-feira ao final do dia o presidente norte-americano, Donald Trump, disse que quaisquer novas ameaças de Pyongyang seriam recebidas com "fúria e fogo".

 

Os comentários de Trump seguiram-se a um relato divulgado no The Washington Post, citando um estudo da Agência de Informações do Departamento da Defesa, de que Pyongyang desenvolveu com êxito ogivas nucleares miniaturizadas a fim de as inserir em mísseis intercontinentais.

 

Entretanto, no dia de hoje, o contexto de tensão foi-se intensificando, com ambas as partes a subirem de tom nos seus avisos, tendo a Coreia do Norte ameaçado um ataque a Guam e os EUA retorquido dizendo que não acreditam numa ameaça iminente vinda de Pyongyang.

 

Os mercados permanecem, por isso, cautelosos. "Atendendo à natureza das ameaças e aos intervenientes, esta situação é pouco habitual", comentou à Bloomberg uma gestora de activos da Pimco Europe, Geraldine Sundstrom.

 

Os investidores vão estar também atentos, amanhã, à Reserva Federal de Nova Iorque, que promove uma reunião com a imprensa para falar sobre a desigualdade salarial regional e sobre as tendências para o emprego. O presidente da Fed de Nova Iorque, William Dudley, fará as observações iniciais.

 

Além disso, serão divulgados os números dos pedidos de subsídio de desemprego na semana passada, bem como o índice de preços no produtor em Julho [anterior: 0,1%; estimativa: 0,1%].

 

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub