Obrigações Tesouro troca 1.740 milhões de euros de dívida com vencimento até 2020

Tesouro troca 1.740 milhões de euros de dívida com vencimento até 2020

Na operação de troca, o Estado recomprou 1.740 milhões de euros de obrigações com vencimento entre 2018 e 2020. E emitiu 1.790 milhões de euros de novos títulos com maturidade em 2022.
Tesouro troca 1.740 milhões de euros de dívida com vencimento até 2020
Miguel Baltasar
Rui Barroso 30 de agosto de 2017 às 11:17

O IGCP concluiu a operação de troca de dívida. O Tesouro diminui as necessidades de refinanciamento até 2020 em 1.735,7 milhões de euros, tendo emitido 1.793 milhões de euros de novos títulos com maturidade em 2022, segundo dados avançados esta quarta-feira pela agência que gere o crédito público.

O Tesouro tem feito operações deste tipo no passado de forma a diminuir o risco de refinanciamento. Com a troca desta quarta-feira, 30 de Agosto, o Estado diminui em 4,3% as necessidades de refinanciamento entre 2018 e 2020. Os preços da operação estavam em linha com os valores registados em mercado secundário esta terça-feira, data em que a operação foi anunciada.

A Obrigação do Tesouro (OT) de 2020 foi a responsável pela maior parte do valor da operação. O Estado recomprou 908 milhões de euros em títulos desta maturidade. Permite diminuir as necessidades de refinanciamento desse ano de 14.620 milhões de euros para 13.170 milhões de euros.

Nos títulos com vencimento em 2019 foram trocados 401 milhões de euros. Nesse ano os reembolsos previstos são agora de 9.760 milhões de euros. E nas OT com vencimento em 2018, as recompras foram de 426,7 milhões de euros. Nesse ano as amortizações de dívida de médio e longo prazo deverão ser de 15.410 milhões de euros.  

Em troca, os investidores ficaram com 1.790 milhões de euros em títulos com prazo em 2022. O Estado enfrenta agora, nesse ano, amortizações de dívida de médio e longo prazo no valor de 12.330 milhões de euros. Ainda assim, o ano com maiores necessidades de reembolsos é 2021, altura em que as previsões do IGCP apontam para amortizações de 21.140 milhões de euros. 



(Notícia actualizada às 11:31 com mais informação)




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado surpreso 30.08.2017

Já que o Costa não reduz a dívida,empurra-a para Passos Coelho.O costume

comentários mais recentes
Anónimo 30.08.2017

Este " extraordinário jornalista" deveria incluir na notícia a taxa de juro a pagar. Assim ficamos na mesma. A 2 ou 3 anos do fim dessas maturidades a negociação parece muito pouco ambiciosa. Esta senhora, bem como a equipa que a assessoria parece muito fraca.

surpreso 30.08.2017

Já que o Costa não reduz a dívida,empurra-a para Passos Coelho.O costume

Anónimo 30.08.2017

a isto chama-se EMPURRAR PARA A FRENTE COM A BARRIGA ..... muitos portugueses ja se aperceberam que quando a nova crise arrebentar , voltaremos a uma situaçao muitissimo PIOR que em 2012 . Nao estamos a aproveitar a excelente situaçao de taxas de juro a 0% , esta brincadeira vai sair caro !

Mr.Tuga 30.08.2017

Para EMPURRAR A DIVIDA COM A BARRIGA PARA A FRENTE até um macaco....

Não é preciso pagar fortunas a economistas!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!