Bolsa Twitter dispara quase 20% e leva Wall Street de regresso aos ganhos

Twitter dispara quase 20% e leva Wall Street de regresso aos ganhos

A rede social dos 140 caracteres foi a estrela da sessão, depois de ter apresentado resultados positivos e avançado com perspectivas animadoras para o último trimestre.  
Twitter dispara quase 20% e leva Wall Street de regresso aos ganhos
Bloomberg
Nuno Carregueiro 26 de outubro de 2017 às 21:20

As bolsas norte-americanas têm nas últimas sessões reagido sobretudo a três factores: resultados empresariais, a escolha do próximo presidente da Reserva Federal e o plano fiscal de Trump.

 

Hoje não foi diferente, com os índices norte-americanos a valorizarem devido sobretudo aos bons números que foram anunciados por diversas empresas.

 

O Dow Jones valorizou 0,31% para 23.400,86 pontos, tendo ficado muito perto de novos máximos e de quebrar a fasquia dos 23.500 pontos. O S&P500 subiu 0,19% para 2.561,97 pontos e o Nasdaq foi a excepção neste movimento de alta, com o índice tecnológico a ceder 0,11% para 6.556,77 pontos.

 

Na frente dos resultados das empresas, o Twitter e a Ford deram boas notícias aos investidores. A rede social disparou 19,49% depois de a empresa ter superado as previsões para as receitas e ter dado boas perspectivas para o último trimestre deste ano, admitindo os primeiros lucros de sempre entre Outubro e Dezembro.

 

A Ford também anunciou resultados que ficaram acima do esperado, levando as acções da construtora de automóveis a subirem 1,91%. Depois do fecho da sessão, são esperados os resultados de gigantes como a Alphabet, Intel, Amazon e Microsoft.

 

Até ao momento, os resultados das empresas norte-americanas têm sido vistos como positivos, com 72,1% das 165 cotadas do S&P500 que já apresentaram contas a superarem as estimativas.

 

A evoluçã positiva dos resultados das empresas pode ser um bom sinal para a evolução do PIB da maior economia do mundo no terceiro trimestre. A variação será anunciada amanhã pelo Departamento do Comércio, sendo que os economistas apontam para um abrandamento da taxa de crescimento anual para 2,5% (contra 3,1% no segundo trimestre).

 

Além dos resultados, os investidores aguardam por pistas sobre a nomeação do próximo presidente da Fed, depois de o Politico ter noticiado que a actual líder, Janet Yellen, e o antigo governador Kevin Warsh estão fora da corrida, restando os nomes de Jerome Powell e o economista John Taylor. No entanto, responsáveis da Casa Branca já adiantaram que ainda não foi tomada qualquer decisão.

 

Na frente do plano fiscal, o presidente dos Estados Unidos teve boas notícias, já que a Câmara dos Representantes aprovou medidas que permitem a implementação dos cortes de impostos às empresas até ao final do ano.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub