Mercados Vasco de Mello absolvido no caso Cimpor

Vasco de Mello absolvido no caso Cimpor

O presidente da Brisa era acusado num caso de abuso de informação privilegiada na OPA da Camargo Corrêa sobre a Cimpor, em 2012.
Vasco de Mello absolvido no caso Cimpor
Negócios 14 de março de 2017 às 21:03
Vasco de Mello foi absolvido da acusação de "insider trading" na OPA lançada em Abril de 2012 pela brasileira Camargo Corrêa sobre a Cimpor, avança a edição online do Correio da Manhã. O presidente da Brisa tinha sido acusado em Outubro de 2015 pelo Tribunal de Instrução Criminal.

Em causa estavam alegadas mais-valias obtidas por Vasco de Mello com a compra de acções da Cimpor dois dias antes do anúncio da operação, com os títulos a serem vendidos logo depois. 

O Ministério Público acusou, em Maio de 2015, o presidente da Brisa pelo crime de abuso de informação privilegiada. O Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa confirmou esta acusação, no dia 5 de Outubro, avançando para o julgamento.



A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
pertinaz Há 2 semanas

UI ... FOI POR POUCO ...

Anónimo Há 2 semanas

Olha quem ele é. Ao menino e ao borracho põe-lhe deus a mão por baixo.

SALAZAR Há 2 semanas

SE ESTE CORRUPTO FOSSE CONDENADO É QUE ERA DE ADMIRAR. TINHA UM SÚBDITO NA CGD CHAMADO NOGUEIRA LEITE QUE LHE DEVE TER DITO QUE A CGD IA VENDER A CIMPOR... ESTE VASCO DE MELLO E O SEU GANGUE HÁ DÉCADAS QUE DEVIA ESTAR PRESO POR GRAVES CRIMES CONTRA O PAÍS... ISTO É SÓ UM EXEMPLO MÍNIMO.

pub