Bolsa Vem aí uma tempestade perfeita nas bolsas?
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Vem aí uma tempestade perfeita nas bolsas?

O quarto trimestre é, historicamente, o melhor para as acções. Mas as presidenciais nos EUA, as decisões monetárias, calendário eleitoral e a situação da banca europeia poderão condicionar o desempenho das bolsas nos próximos meses.
Vem aí uma tempestade perfeita nas bolsas?
Patrícia Abreu 04 de Outubro de 2016 às 07:00

Diz a história que o último trimestre do ano é o melhor para as acções, mas poderá não ser o caso este ano. As eleições presidenciais nos EUA, a crise no sector financeiro europeia e os

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 04.10.2016


PS ROUBA OS TRABALHADORES DO PRIVADO

FP SEMPRE A ROUBAR À GRANDE

Por que razão o cálculo da pensão da sua CGA era mais generoso do que o cálculo da pensão do regime geral?

Porquê?

Por que razão uns tinham reforma de filhos e outros reforma de enteados?

Esta discrepância logo à partida é que é razão para indignação, meu caro amigo.

A equiparação prometida é da mais elementar justiça.

Por que razão trabalha V. Exa. menos 5 horas semanais do que os trabalhadores dos sectores privados?

Pior: além de trabalhar menos horas, ainda tem direito a mais dias de férias.

Porquê?

Que razões podem justificar estes privilégios injustificáveis?

Que aritmética laboral pode justificar esta diferença entre V. Exa. e a restante população?

Que equidade pode existir aqui?

Anónimo 04.10.2016


FP . CGA – 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES DO PRIVADO

400 milhões de Euros para aumentar as pensões mínimas, são migalhas em comparação com...

os mais de 4600 milhões de euros que o Estado injetou, em 2015 (e injeta todos anos) através de transferências diretas do Orçamento do Estado (ou seja, com dinheiro pago em impostos pelos restantes portugueses) para assegurar o financiamento do buraco anual das pensões da CGA.

Anónimo 04.10.2016

o povo tem aquilo que merece .vi no fim de semana filas enormes de portugueses para verem a exposição de pinturas do Miró feitas com as bordar do cu..este tipo de cartolas engravatados consegue conveser o povo que um cagalhao visto de Marte e uma obra de arte .

VitorCastro 04.10.2016

governo dos funcionários públicos estão preocupados em dar 0.30 centimos por dia a quem tem reformas mais baixas mas repor centenas de euros aos mamas da função publica isso é que é importante.

ver mais comentários
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub
pub
pub
pub