Obrigações Venezuela vai reestruturar toda a dívida estrangeira

Venezuela vai reestruturar toda a dívida estrangeira

Nicolas Maduro anunciou que vai reestruturar a dívida da Venezuela detida por estrangeiros. O presidente venezuelano acusa os EUA de serem responsáveis pelo país não se conseguir financiar nos mercados.
Venezuela vai reestruturar toda a dívida estrangeira
Reuters
Sara Antunes 03 de novembro de 2017 às 11:56

O presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, garantiu que procedeu ao reembolso de 1,1 mil milhões de dólares em dívida, da petrolífera Petroleos de Venezuela (PDVSA) que chega à maturidade na próxima quinta-feira. Mas também revelou que criou uma comissão para estudar "uma reestruturação de todos os pagamentos futuros", de acordo com a Reuters.

 

Nicolas Maduro apontou ainda o dedo aos EUA, acusando o país de ser responsável pela incapacidade de a Venezuela se financiar no mercado internacional. Isto porque uma das sanções, no âmbito de acusações de violação dos direitos dos homens, aplicadas pelos EUA foi proibir os bancos americanos de participarem ou negociarem operações do género.

 

"Nomeei uma comissão presidencial especial, liderada pelo vice-presidente Tareck El Aissami, para começar a refinanciar e a reestruturar todas a dívida externa da Venezuela e (começar) a lutar contra a perseguição financeira ao nosso país", afirmou Nicolas Maduro num discurso transmitido na televisão e citado pela Reuters.

 

A agência de informação americana realça que o Estado e as empresas estatais têm 49 mil milhões de dólares em obrigações que estão sujeitas à legislação norte-americana.

 

A Venezuela poderá assim entrar em falência, arriscando-se a ser a protagonista da maior crise de dívida soberana na América Latina desde 2011, altura em que a Argentina entrou em colapso financeiro. E alguns analistas acreditam que será difícil convencer os investidores a aceitarem a reestruturação de dívida, especialmente porque não há qualquer plano económico.

 

O anúncio feito por Nicolas Maduro deixou algumas pessoas confusas, não percebendo porque é que anuncia uma reestruturação de dívida, mas antes faz pagamentos de montantes elevados, valores que poderiam ser usados para ajudar a população. Há analistas, de acordo com a Bloomberg, que admitem que Maduro não esteja familiarizado com as terminologias e tenha falado em reestruturação de dívida, sem querer efectivamente dizer isso. Há outros analistas que acreditam que o objectivo de Maduro é deixar de fora desta reestruturação a petrolífera estatal PDVSA.




pub