Bolsa Volatilidade diminui e bolsas recuperam com menor receio de uma guerra nuclear

Volatilidade diminui e bolsas recuperam com menor receio de uma guerra nuclear

As bolsas norte-americanas encerraram em terreno positivo, animadas pela diminuição dos receios em torno de uma potencial guerra nuclear entre os EUA e a Coreia do Norte.
Volatilidade diminui e bolsas recuperam com menor receio de uma guerra nuclear
Bloomberg
Carla Pedro 14 de agosto de 2017 às 22:16

O Dow Jones fechou a sessão desta segunda-feira a somar 0,62% para 21.993,71 pontos e o Standard & Poor’s 500 valorizou 1% para 2.465,84 pontos – o maior avanço desde Abril.

 

Também o índice tecnológico Nasdaq Composite acompanhou a tendência de subida, terminando com um ganho de 1,34% para se estabelecer nos 6.340,23 pontos.

 

O índice de volatilidade, também conhecido como índice do medo, que nas últimas sessões tinha disparado, esteve hoje a cair, reflectindo o alívio dos mercados depois de ontem dois responsáveis de topo dos EUA terem afirmado que não está iminente uma guerra entre Washington e Pyongyang.

 

Recorde-se que, depois de um intensificar de advertências e ameaças entre os EUA e a Coreia do Norte desde a passada terça-feira, no sábado, 12 de Agosto, Pyongyang ameaçou Washington com um ataque nuclear se tentassem derrubar o seu líder.

 

No entanto, o director da Agência Central de Inteligência (CIA), Mike Pompeo, e o assessor de segurança nacional, H.R. McMaster, avançaram ontem, em declarações separadas, que essa perspectiva não se coloca de momento.

 

Na sessão de hoje, destaque para os títulos tecnológicos, que tiveram o melhor desempenho, com destaque para a Apple, Micron Technology e Advanced Micro Devices.

 

No sector farmacêutico, a Merck fechou a subir 0,46%. O seu CEO, Kenneth Frazier, anunciou hoje a sua demissão do cargo de conselheiro empresarial de Donald Trump, no American Manufacturing Council, depois de o presidente norte-americano ter sido considerado demasiado brando na reacção aos confrontos de sábado em Charlottesville, que resultaram num morto e mais de três dezenas de feridos. 

 

Trump reagiu a esta demissão, dizendo que assim talvez seja mais fácil reduzir os preços dos medicamentos, mas a Merck não se viu afectada em bolsa pelas declarações do chefe da Casa Branca.

 

Na semana passada, as bolsas mundiais perderam um bilião de dólares de capitalização bolsista. Em Wall Street, o S&P 500 e o Dow Jones registaram a pior semana em quase cinco meses.

 

Os investidores aguardam agora com expectativa pela divulgação, na quarta-feira, das actas relativas à reunião de 25 e 26 de Julho da Reserva Federal norte-americana – para terem mais indicações sobre o rumo da política monetária do banco central dos EUA.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub