Bolsa Wall Street abre em máximos e Dow Jones supera 20 mil pontos pela primeira vez

Wall Street abre em máximos e Dow Jones supera 20 mil pontos pela primeira vez

Depois dos máximos atingidos na última sessão, as principais praças dos Estados Unidos iniciaram o dia em alta e com novos recordes. O Dow Jones ultrapassou mesmo a barreira psicológica dos 20 mil pontos pela primeira vez.
Wall Street abre em máximos e Dow Jones supera 20 mil pontos pela primeira vez
Reuters
David Santiago 25 de janeiro de 2017 às 14:34

O índice tecnológico Nasdaq Composite abriu a sessão desta quarta-feira, 25 de Janeiro, a ganhar 0,61% para 5.635 pontos, acompanhando pelo Standard & Poor’s 500 que começou o dia a somar 0,47% para 2.290,72 pontos, com ambos os índices a atingirem novos recordes de sempre. Estes dois índice prosseguem a negociar em alta depois de esta terça-feira terem estabelecido novos máximos históricos.

 

Já o Dow Jones superou pela primeira vez a barreira psicológica dos 20 mil pontos, marca nunca antes atingida e que esteve perto de ser superada na sessão de 6 de Janeiro em que o índice tocou nos 19.999,63 pontos. Este índice industrial iniciou a sessão a avançar 0,53% para 20.018,76 pontos.

 

A apoiar estes ganhos está a perspectiva mais positiva para a economia global em 2017, designadamente para a economia norte-americana. Segundo a estimativa de economistas compilada pela agência Bloomberg, a maior economia mundial deverá crescer 2,3% este ano, valor que compara com a expansão de 1,6% registada em 2016.

 

Por outro lado é também cada vez maior o optimismo em torno das políticas pró-crescimento do novo presidente dos EUA, Donald Trump. Recorde-se que desde a vitória de Trump nas presidenciais de 8 de Novembro, Wall Street tem vindo a acumular ganhos, com os diversos índices a alcançarem recordes impulsionados pela expectativa positiva em relação ao plano de forte investimento público e corte da carga fiscal prometido pelo novo presidente. 

A contribuir para o crescente optimismo estão os vários anúncios feitos por Trump e as diversas ordens executivas já assinadas. A tendência é clara: menor regulação financeira em Wall Street e menos regras ambientais para as fabricantes de automóveis e para o sector petrolífero, e ainda a construção de novos oleodutos (bloqueados por Barack Obama).

Em paralelo a estas decisões, o dólar americano caiu já esta quarta-feira para o valor mais baixo em sete meses, numa altura em que nos mercados cambiais cresce a apreensão em torno das políticas proteccionistas advogadas pelo presidente Trump. Donald Trump tem defendido que um dólar demasiado forte é prejudicial para a economia norte-americana. 


Num começo de sessão marcado por ganhos generalizados e que abarcam os diversos sectores, nota de destaque para a Seagate Technology que abriu a disparar 22,30% para 45,79 dólares. Nota ainda para a Exxon e para a Chevron que começaram o dia a ganhar 0,31% e 0,37% para 85,35 dólares e 116,80 dólares, respectivamente.

Por fim, nota ainda para a Caterpillar que abriu a sessão a somar 1,81% para 97,98 dólares e para a Apple a apreciar 0,89% para 121,04 pontos.

(Notícia actualizada às 14:36)


A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 25.01.2017

ALERTA: COFINA A AÇÃO DO MERCADO IBERICO COM MAIS POTENCIAL, SEGUNDO O BPI
BPI atribui target de 0,46 € à COFINA e diz ser a ação ibérica com menor PER
http://www.jornaldenegocios.pt/mercados/bolsa/research/detalhe/bpi-corta-avaliacao-a-oito-cotadas-nacionais-e-sobe-cinco-precos-alvo?ref

Anónimo 25.01.2017

DE PONTO EM PONTO RUMO À FALÊNCIA FINAL, QUANTO MAIS SUBIR MAIOR SERÁ O TOMBO. A SANTA HIPOCRISIA DAS BOLSAS COM PÉS DE BARRO.

pub
pub
pub
pub