Bolsa Wall Street a caminho de oitavo trimestre consecutivo em alta

Wall Street a caminho de oitavo trimestre consecutivo em alta

As principais bolsas norte-americanas encerraram em terreno positivo, com o índice S&P 500 a marcar um recorde de fecho, ainda animadas pela proposta de reforma fiscal de Donald Trump, que prevê cortes de impostos. Amanhã termina mais um trimestre, que pode ser o oitavo seguido em alta.
Wall Street a caminho de oitavo trimestre consecutivo em alta
Reuters
Carla Pedro 28 de setembro de 2017 às 22:00

O Standard & Poor’s 500 encerrou a somar 0,12% para 2.510,06 pontos na sessão desta quinta-feira, naquele que foi um recorde de fecho. Ontem, a meio da sessão, atingiu um novo máximo histórico nos 2.511,75 pontos.

 

Também o Dow Jones terminou no verde, a ganhar 0,18% para 22.381,20 pontos. Por seu lado, o tecnológico Nasdaq Composite fechou inalterado face à véspera, nos 6.453,45 pontos.

 

A animar a negociação bolsista estiveram uma vez mais as propostas de reforma fiscal apresentadas pela Administração Trump, já que se intensificou a especulação de que esta reforma vai mesmo entrar em vigor - e ainda este ano – e fomentará o crescimento económico e o investimento.

 

Uma das propostas de Trump, recorde-se, é baixar o IRC de 35% para 20%. Os líderes democratas do Congresso dos EUA já disseram rejeitar esta proposta fiscal, dizendo que beneficia essencialmente os mais ricos, mas reina a convicção de que esta prometida reforma poderá ir mesmo para a frente.

A categoria das empresas de baixa capitalização bolsista, um grupo que está entre os que pagam impostos mais elevados, continuou a registar fortes subidas com o plano fiscal de Trump, levando a que o seu índice, o Russell 2000, fechasse a ganhar 0,27% para 1.488,79 pontos, depois de ontem já ter subido perto de 2%. Durante a sessão, chegou a tocar nos 1.489,35 pontos, o que constituiu um novo máximo histórico.

Os investidores aguardam também agora por novos indicadores económicos dos EUA, sendo que amanhã são conhecidos os dados dos gastos e dos rendimentos dos consumidores, relativos a Agosto.






A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub