Bolsa Wall Street abre em queda à espera de Yellen

Wall Street abre em queda à espera de Yellen

As praças norte-americanas abriram a sessão desta terça-feira em queda, à espera das palavras da presidente da Reserva Federal, Janet Yellen.
Wall Street abre em queda à espera de Yellen
Reuters
Negócios 14 de fevereiro de 2017 às 14:34
As praças norte-americanas abriram a sessão desta terça-feira em terreno negativo, com os investidores a aguardarem por novas pistas sobre o ritmo de aumento de juros nos EUA, que hoje podem ser deixadas pela presidente da Reserva Federal, Janet Yellen, que fala no Senado.

O S&P 500 abriu a cair 0,11% para 2.325,61 pontos, enquanto o industrial Dow Jones recua 0,15% para 20.381,6 pontos. Já o tecnológico Nasdaq recua 0,14% para 5.756 pontos.

As bolsas americanas recuam assim de máximos históricos atingidos nas últimas sessões. Esta é, aliás, a primeira queda em seis sessões do S&P500.

As atenções estão assim viradas para o discurso da presidente da Fed, depois de nas últimas sessões as bolsas terem beneficiado do anúncio de Donald Trump de que está a preparar um plano fenomenal de alívio de impostos. O presidente dos EUA revelou que deverá apresentar o plano nas próximas semanas, sem se prolongar no tema. 

Já entre as cotadas que apresentam esta terça-feira os resultados, destaque para a T-Mobile, que já divulgou os números, e para a AIG, cujos dados só serão conhecidos no final do dia. 

A T-Mobile reportou um resultado líquido de 45 cêntimos de dólar por acção, o que superou as estimativas dos analistas consultados pela Bloomberg, que apontavam para um resultado de 30 cêntimos. Já as vendas ascenderam a 10,2 mil milhões de dólares, o que compara com a estimativa média de 9,85 mil milhões. As acções estão a subir 1,59% para 61,87 dólares. 

Destaque para as acções da General Motors, que estão a subir 3,74% para 36,85 dólares, depois de já ter sido confirmado que a Peugeot, liderada pelo português Carlos Tavares, está a estudar uma união com a divisão da General Motors na Europa.

Do lado das quedas, estão cotadas como a Pfizer, que recua 0,21% para 32,54 dólares, e como a Intel, que cede 0,64% para 35,57 dólares.

(Notícia actualizada com mais informação)

A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub