Bolsa Wall Street ainda em alta animada pela quase aprovação final da reforma fiscal

Wall Street ainda em alta animada pela quase aprovação final da reforma fiscal

As principais praças bolsistas dos Estados Unidos começaram o dia a negociar em alta, animadas pela proximidade da aprovação final da reforma fiscal de Trump e também pelos ganhos alcançados no sector financeiro, impulsionados pela subida dos juros decretada pela Fed.
Wall Street ainda em alta animada pela quase aprovação final da reforma fiscal
Reuters
David Santiago 14 de dezembro de 2017 às 14:36

Já se perdeu a conta ao número de vezes que Wall Street abriu e fechou em alta impulsionada pelo optimismo dos investidores em relação à reforma fiscal prometida pelo presidente americano Donald Trump.

 

Mas agora, aparentemente superados os principais entraves, que o pacote fiscal se encontra cada vez mais próximo da promulgação, as principais praças americanas voltam a beneficiar com a expectativa quanto ao impacto económico do enorme corte de impostos previsto no documento.

 

Assim, depois dos máximos de sempre atingidos ontem pelo Dow Jones e pelo Standard & Poor’s 500, Wall Street está novamente em alta. O Dow Jones abriu a sessão desta quinta-feira, 14 de Dezembro, a ganhar 0,20% para 24.635,19 pontos, seguido pelo tecnológico Nasdaq Composite que avança 0,16% para 6.886,797 pontos. Em sentido inverso, o S&P 500 recua ténues 0,05% para 2.662,85 pontos.

 

Esta quarta-feira, elementos do Partido Republicano informaram ter alcançado um acordo de princípio sobre o pacote fiscal, com os republicanos de ambas as câmaras do Congresso dos Estados Unidos satisfeitos com a consensualização das versões propostas e aprovadas na Câmara dos Representantes e no Senado.

 

O acordo presume que a medida emblemática do plano prometido por Trump permanece quase intacta. A taxa de IRC cai os actuais 35% para 21%, ligeiramente acima dos 20% inicialmente propostos, entrando em vigor já em 2018 e não em 2019 como aprovado na proposta aprovada no Senado. O documento final deverá ser conhecido já esta sexta-feira podendo ser aprovado pelo Senado e pela Câmara dos Representantes na próxima semana. Tudo aponta para que Donald Trump tenha a versão final na sua secretária durante a semana que vem, o que abre a porta à promulgação antes do final do ano.

Destaque neste início de sessão para a confirmação do acordo para a compra da Twenty-First Century Fox pela Walt Disney por 52.400 milhões de dólares (44.300 milhões de euros). A Walt Disney soma 0,46% para 108,21 dólares e a Twenty-First Century Fox cresce 0,12% para 32,79 dólares.

 

O sector financeiro segue em alta apoiado pela subida dos juros decretada ontem pela Reserva Federal dos Estados Unidos, o terceiro aumento decidido em 2017 pela Fed. O Goldman Sachs aprecia 0,70% para 256,98 dólares, o Citigroup cresce 0,13% para 75,24 dólares, o JP Morgan ganha 0,45% para 106 dólares e o Bank of America valoriza 0,55% para 29,01 dólares.

Ainda assim, os ganhos registados em Wall Street são relativamente moderados o que poderá estar relacionado com o facto de a Fed ter ontem antecipado que o plano fiscal de Donald Trump poderá ter um impacto económico será menor do que inicialmente previsto.


(Notícia actualizada às 14:43)




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub