Bolsa Wall Street amanhece com forte volatilidade a tentar recuperar de segunda-feira negra

Wall Street amanhece com forte volatilidade a tentar recuperar de segunda-feira negra

Wall Street viveu ontem a pior sessão em seis anos, mas as quedas parecem não ter ficado por aí. Na abertura do mercado do outro lado do Atlântico, as acções estavam a descer fortemente, mas rapidamente recuperaram, num início de sessão marcado por forte volatilidade.
Wall Street amanhece com forte volatilidade a tentar recuperar de segunda-feira negra
Reuters
Ana Laranjeiro 06 de fevereiro de 2018 às 14:44

5 de Fevereiro de 2018 foi a pior sessão em seis anos para as principais praças americanas. Mas os danos não se ficaram por aqui. Na abertura do mercado, os índices nova-iorquinos continuavam do lado das perdas fortes fortes,  mas rapidamente inverteram para terreno positivo.

Na abertura da sessão o Dow Jones recuava 1,93% para 23.874,76 pontos e o S&P500 desvalorizava 2,07% para 2.617,47 pontos. Apesar de serem quedas expressivas para o arranque de sessão, estas desvalorizações registadas em Wall Street são inferiores aos valores de fecho de ontem.

30 minutos depois da abertura as acções davam sinais de recuperação sustentada. O Dow Jones já sobe 1,44% para 2.4696,31 pontos e o Nasdaq, que abriu a cair 1,71% para 23.874,76 pontos, sobe agora 1,15% para 7.047,34 pontos. O S&P500 já ganha 0,61%.

Na sessão de ontem o Dow Jones fechou a cair 4,62% para 24.342,76 pontos. O S&P 500 fechou a cair 4,1% para 2 649,01 pontos, o que representa a descida diária mais acentuada desde Agosto de 2011. O Nasdaq, que chegou a negociar em terreno positivo logo depois da abertura, fechou o dia a recuar 3,78% para 6.967,527 pontos.

Esta abertura de sessão está assim a ser marcada por uma forte volatilidade, que regressou ontem em força aos mercados financeiros, depois de uma prolongada acalmia que durou meses.

Os investidores receiam que a Reserva Federal dos EUA suba antes do previsto as taxas de juro, depois de preverem uma subida da inflação, o que continua a penalizar os mercados um pouco por todo o mundo.

Os analistas, contudo, continuam a ser cautelosos quanto a afirmarem que estas quedas recentes das praças do outro lado do Atlântico são uma correcção substancial face às fortes subidas recentes, aponta a Reuters.

Andre Bakhos, da New Vines Capital, citado pela agência, salientou que: "a única coisa que posso dizer com confiança é que a volatilidade regressou repentinamente ao mercado". "As quedas dos mercados são acentuadas e ferozes e estão a fomentar os receios que geram comportamento irracional. Portanto, o mercado é conduzido pelos receios das taxas e dos salários", acrescentou.

O Facebook sobe 0,63% para 182,40 dólares, a Apple cresce 1,62% para 159,03 dólares, a Microsoft cede 0,10% para 87,911 dólares.

Na banca, o Goldman Sachs desce 1,05% para 246,491 dólares, o JPMorgan cede 0,29% para 180,48 dólares e o Citigroup recua 0,91% para 72,605 dólares.

(Notícia actualizada pela última vez às 15:01)




Saber mais e Alertas
pub