Bolsa Wall Street cai com Fed mais agressiva na subida de juros

Wall Street cai com Fed mais agressiva na subida de juros

As principais praças dos Estados Unidos abriram a sessão no vermelho penalizadas pela posição da Reserva Federal que advoga uma política monetária de subida dos juros menos dependente da subida da inflação.
Wall Street cai com Fed mais agressiva na subida de juros
Reuters
David Santiago 01 de fevereiro de 2018 às 14:40

O índice Dow Jones abriu a sessão bolsista desta quinta-feira, 1 de Fevereiro, a recuar 0,40% para 26,044,95 pontos, seguido pelo Nasdaq Composite a perder 0,30% para 7.390,24 pontos. O S&P500 desvaloriza 0,14% para 2.819,77 pontos. 

 

A pressionar o sentimento em Wall Street está o deslocamento da Reserva Federal dos Estados Unidos, que está a abandonar uma posição mais expectante para adoptar uma postura mais agressiva.

 

No encontro da Fed que terminou ontem – o último com Janet Yellen como líder do banco central – a Fed, que passa este sábado a ser liderada por Jerome Powell, decidiu manter inalterados os juros mas avisou que irá prosseguir uma política de normalização monetária nos próximos meses, abrindo a porta a um novo aumento do custo do dinheiro já em Março.

 

A Fed adoptou uma atitude mais agressiva ao anunciar que novos aumentos dos juros não dependerão necessariamente da aproximação da taxa de inflação para um valor próximo da meta de 2%.

A pressionar neste início de dia está a UPS, que resvala 6,44% para 119,14 dólares, depois de os lucros, no quarto trimestre de 2017, da maior empresa mundial de entrega de mercadorias terem sido penalizados pelo aumento dos custos.

Mesmo antes da abertura de Wall Street, houve boas notícias sobre o mercado laboral americano. Depois de o número de novos pedidos de subsídios de desemprego ter sido revisto em baixa (de 233 para 231 mil) na semana finda a 19 de Janeiro, na semana passada o total de novos pedidos recuou para 230 mil, uma evolução positiva que compara com a estimativa negativa dos analistas que esperavam um aumento para 235 mil. 

(Notícia actualizada às 14:41)




pub