Bolsa Wall Street começa dia em alta com subida do petróleo e à espera da Fed

Wall Street começa dia em alta com subida do petróleo e à espera da Fed

As principais praças dos Estados Unidos começaram o dia no verde, num início de sessão marcado pela valorização do preço do petróleo. A concentrar as atenções dos investidores está ainda a decisão que será hoje anunciada pela Fed, esperando-se que seja decretado um novo aumento dos juros.
Wall Street começa dia em alta com subida do petróleo e à espera da Fed
reuters
David Santiago 15 de março de 2017 às 13:34

O índice Dow Jones abriu a sessão desta quarta-feira, 15 de Março, a ganhar 0,18% para 20.874,60 pontos, acompanhado pelo Nasdaq Composite que também começou o dia a somar 0,21% para 5.869,109 pontos.

 

A seguir esta tendência, o índice Standard & Poor’s 500 iniciou o dia a subir 0,21% para 2.370,52 pontos.

 

A contribuir para este optimismo em Wall Street está a subida do preço do petróleo nos mercados internacionais, com o West Texas Intermediate (WTI), transaccionado em Nova Iorque, a valorizar 1,55% para 48,46 dólares por barril. 

A justificar esta valorização do crude está um relatório divulgado pelo Instituto Americano do Petróleo, segundo o qual as reservas petrolíferas norte-americanas recuaram em 531 mil barris na semana passada.

 

Por outro lado, a Agência Internacional de Energia (AIE) sustentou esta quarta-feira que o mercado ainda precisa de tempo para acomodar o excesso de oferta da matéria-prima verificado ao longo dos últimos anos e que contribuiu de forma decisiva para a quebra acentuada do preço do crude nos mercados internacionais.

A beneficiar desta tendência, a Chevron e a Exxon abriram a sessão a avançar 0,61% e 0,38% para 108,015 e 81,30 dólares, respectivamente.

 

Mas a marcar a agenda de hoje em Wall Sreet está o final, marcado para hoje, da reunião de dois dias da Reserva Federal dos Estados Unidos. No final deste encontro, o banco central americano deverá anunciar um novo aumento da taxa de juro directora do país, a segunda subida em cerca de quatro meses.

 

Depois de várias semanas de especulação, Janet Yellen, líder da Fed, no disse no Clube de Chicago, já no início deste mês, ser muito provável que o banco central americano decrete um novo aumento dos juros já em Março.

 

Yellen fez referência à progressiva melhoria das condições e ganho de robustez da maior economia mundial, para justificar que seria "provavelmente adequado" aumentar a taxa de juro directora em Março, hipótese para a qual também concorre o facto de os riscos externos (abrandamento da economia chinesa e incerteza política) terem "aparentemente retrocedido". 


(Notícia actualizada às 13:45)


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub