Bolsa Wall Street em alta à espera que Senado evite "shutdown"

Wall Street em alta à espera que Senado evite "shutdown"

Os principais índices bolsistas norte-americanos abriram em alta a última sessão da semana. As bolsas continuam a ser animadas pela expectativa de que os resultados agregados das maiores cotadas dos EUA sejam robustos.
Wall Street em alta à espera que Senado evite "shutdown"
Carla Pedro 19 de janeiro de 2018 às 14:54

O Dow Jones segue a somar 0,07% para 26.037,55 pontos, ao passo que o Standard & Poor’s 500 avança 0,22% para 2.804,71 pontos. Por seu lado, o tecnológico Nasdaq Composite sobe 0,28% para 7.316,24 pontos.

 

Os investidores estão a revelar prudência, dada a possibilidade de uma paralisação dos serviços federais a partir da meia-noite. A Câmara dos Representantes já deu luz verde a um novo financiamento de curto prazo, até 16 de Fevereiro, mas falta ainda a decisão do Senado.

 

No entanto, a expectativa de uma boa época de divulgação dos resultados de 2017 está a ter mais peso e as bolsas do outro lado do Atlântico seguem em terreno positivo.

 

A Square segue a disparar 4% depois de a corretora Instinet ter elevado o preço-alvo das suas acções em 16 dólares, para 64 dólares por acção, dizendo que 2018 será um "ano fenomenal" devido ao crescimento positivo no valor dos pagamentos brutos.

 

Do lado das perdas, destaque para a IBM, que segue a cair 2,78% para 164,41 dólares, depois de ontem ter anunciado uma queda de 52% dos lucros em 2017, para 5.753 milhões de dólares. Os resultados anunciados ontem à noite pela tecnológica foram impactados pelas provisões fiscais do último trimestre [no valor de 5,5 mil milhões de dólares], para os impostos que terá de pagar para repatriar capitais que tem fora dos EUA, no âmbito da reforma fiscal da Administração Trump aprovada em Dezembro.

 

Apesar da queda dos lucros, a IBM reportou o primeiro aumento das receitas em 23 trimestres, se excluirmos o impacto das provisões. A facturação aumentou 4% no quarto trimestre para 22,5 mil milhões de dólares (contra 21,8 mil milhões no período homólogo de 2016).

 

Já os lucros apenas do quarto trimestre, sem terem conta a provisão para impostos, ascenderam a 5,18 dólares por acção, acima dos 5,16 esperados pelo consenso do mercado.

 

Quanto à banca, os cinco maiores bancos de Wall Street – JPMorgan Chase, Citigroup, Bank of America, Goldman Sachs e Morgan Stanley – reportaram uma queda média de 32% das suas receitas no quatro trimestre e de 12% no acumulado do ano.




pub