Bolsa Wall Street em alta em dia de “ok” final à reforma fiscal

Wall Street em alta em dia de “ok” final à reforma fiscal

A reforma fiscal foi aprovada no Senado, mas terá de voltar à Câmara dos Representantes. Contudo, não se espera qualquer revés, devendo a legislação ser assinada por Trump ainda esta semana.
Wall Street em alta em dia de “ok” final à reforma fiscal
reuters
Rita Faria 20 de dezembro de 2017 às 14:42

Dezembro, animados pelo "ok" do Senado à maior e mais profunda reforma fiscal dos Estados Unidos das últimas décadas.

 

Nesta altura, o índice industrial Dow Jones ganha 0,28% para 24.824,49 pontos, enquanto o tecnológico Nasdaq sobe 0,31% para 6.985,47 pontos. Já o S&P500 valoriza 0,25% para 2.687,99 pontos.

 

A reforma fiscal foi aprovada no Senado com 51 votos a favor e 48 contra, mas a legislação terá de voltar à Câmara dos Representantes, devido a um obstáculo processual. No entanto, não se espera qualquer alteração ao resultado. A reforma deverá ser assinada pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, até ao final da semana.

 

A votação no Senado ocorreu poucas horas depois da aprovação do mesmo pacote na Câmara dos Representantes, com 227 votos a favor e 203 contras. 12 congressistas eleitos pelo Partido Republicano votaram desfavoravelmente e nenhum democrata a favor. 

 

Entre as principais medidas desta reforma está a descida do imposto sobre as empresas de 35% para 21% a partir do dia 1 de Janeiro, o que já é visto como um grande motor dos resultados no próximo ano.

 

Essa convicção tem alimentado fortes subidas nas acções norte-americanas e levado os principais índices a bater máximos históricos consecutivos.

 

As acções da FedEx valorizam 3,5% para 251,01 dólares, depois de a empresa ter melhorado as suas estimativas de resultados para 2018. Também a Micron Technology dispara 3,38% para 45,47 dólares, com as acções a beneficiarem da revisão em alta das projecções para este trimestre. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub