Bolsa Wall Street em queda à espera de cortes fiscais de Trump

Wall Street em queda à espera de cortes fiscais de Trump

As principais praças dos Estados Unidos negoceiam no vermelho numa altura em que os investidores aguardam por novidades relativamente ao plano económico de Donald Trump.
Wall Street em queda à espera de cortes fiscais de Trump
Reuters
Negócios 10 de julho de 2017 às 14:37

Wall Street está a transaccionar em queda, com o índice industrial Dow Jones a iniciar a negociação bolsista desta segunda-feira, 10 de Julho, a cair 0,19% para 21.372,92 pontos, o Nasdaq Composite a ceder 0,03% para 6.151,07 pontos, e o Standard & Poor’s 500 a perder 0,10% para 2.422,76 pontos, após na última sessão ter alcançado a maior valorização diária em seis sessões.

Esta segunda-feira assinala o regresso ao trabalho do Congresso dos Estados Unidos após um breve interregno para férias. Inicia-se agora um período de três semanas de trabalho (depois os congressistas têm as férias de Agosto) que será decisivo para perceber se a administração liderada pelo presidente Donald Trump conseguirá mesmo cumprir a promessa de um ambicioso plano económico, que inclui grandes cortes fiscais. 

A dificultar este projecto continua o projecto de lei para revogar e substituir o Obamacare, num momento em que persiste uma grande divisão entre os senadores republicanos acerca da reforma ao sistema de cuidados de Saúde proposta pela Casa Branca. 

 

A assegurar algum optimismo às principais praças dos Estados Unidos está a evolução do mercado laboral, isto depois de na última sexta-feira o Departamento de Trabalho norte-americano ter anunciado que em Junho foram criados 222 mil novos postos de trabalho (excluindo o sector agrícola), bastante acima dos 178 mil previstos pelos analistas.

 

A melhoria do mercado laboral contribui para reforçar a convicção de que a Reserva Federal dos Estados Unidos irá proceder, em 2017, a um terceiro aumento das taxas de juro, pese embora a inflação esteja ainda abaixo da meta de 2% definida pela autoridade monetária liderada por Janet Yellen.

 

Como tal, os investidores aguardam com expectativa pelas intervenções que Yellen fará esta quarta e quinta-feira, aguardando-se por pistas sobre o caminho a seguir em termos de políticas monetárias pela Fed.

 

A evolução positiva do emprego nos Estados Unidos também potenciou o dólar, que segue a valorizar pelo segundo dia no índice que avalia o comportamento da divisa norte-americana contra as principais moedas mundiais. Esta segunda-feira, o dólar atingiu já o valor mais alto em dois meses face ao iene. 

Ainda a centrar as atenções dos investidores nesta semana está a divulgação de resultados trimestrais por parte do JP Morgan, do Wells Fargo e do Citigroup, já na próxima sexta-feira. O JP Morgan abriu a sessão a resvalar 0,47% para 93,405 dólares, o Wells Fargo a deslizar 0,57% para 55,42 dólares e o Citigroup a cair 0,38% para 67,6512 dólares.


(Notícia actualizada às 14:53)




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
RESULTADOS MILENIUM POLACO UPA UPA BCP 10.07.2017

é hoje ás 17h00 # TRPLICARAM em RELAÇÃO ao 1 TRIMESTRE

pub
pub
pub
pub