Bolsa Wall Street em queda após minutas da Fed e dados do emprego

Wall Street em queda após minutas da Fed e dados do emprego

As bolsas dos Estados Unidos estão a negociar em queda pela primeira vez em três sessões, depois de a criação de postos de trabalho ter ficado abaixo do esperado.
Wall Street em queda após minutas da Fed e dados do emprego
Reuters
Rita Faria 05 de janeiro de 2017 às 14:42

Os principais índices norte-americanos abriram em queda ligeira esta quinta-feira, 5 de Janeiro, depois de duas sessões consecutivas de ganhos.

O índice industrial Dow Jones cai 0,05% para 19.931,68 pontos, enquanto o tecnológico Nasdaq cede 0,05% para 5.474,29 pontos. Já o S&P500 recua 0,09% para 2.268,73 pontos.

Esta evolução acontece depois de ter sido revelado, através das minutas da última reunião da Fed, que vários responsáveis estão preocupados com a possibilidade de o banco central ser forçado a acelerar a subida de juros, devido às perspectivas de crescimento da inflação.

Uma perspectiva que resulta dos efeitos do plano de estímulos orçamentais que Donald Trump pretende implementar assim que chegar à Casa Branca, a 20 de Janeiro, que também colocam "riscos de revisão em alta às actuais perspectivas de crescimento económico".

Apesar disso, a maioria dos responsáveis da Fed reiterou que será mais apropriado subir os juros de "forma gradual" nos próximos anos.

 

Esta quinta-feira, um relatório da ADP mostra que o sector privado, nos Estados Unidos, criou 153 mil postos de trabalho, no mês passado, depois dos 215 mil, em Novembro. O número ficou abaixo do esperado já que os economistas consultados pela Bloomberg antecipavam a criação de 175 mil empregos.

 

Os dados oficiais sobre a criação de emprego e taxa de desemprego serão divulgados pelo Departamento de Trabalho dos Estados Unidos esta sexta-feira.

 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
luis Há 2 semanas

ora bem a inflaçao subiu por causa do efeito do preço do petroleo e não porque a economia europeia esteja excelente. isto vai acabar bem...

pub
pub
pub
pub