Bolsa Wall Street em queda ligeira com menor empenho do G20 face ao livre comércio

Wall Street em queda ligeira com menor empenho do G20 face ao livre comércio

As principais praças dos Estados Unidos iniciaram a negociação bolsista desta semana em queda ligeira depois de a declaração do G20 não incluir nenhuma referência ao comércio global livre e aberto.
Wall Street em queda ligeira com menor empenho do G20 face ao livre comércio
Reuters
David Santiago 20 de março de 2017 às 13:39
O índice industrial Dow Jones abriu a sessão desta segunda-feira, 20 de Março, a deslizar ténues 0,06% para 20.901,92 pontos, acompanhado pelo tecnológico Nasdaq Composite que começou a semana a ceder ligeiros 0,03% para 5.899,176 pontos. 

Já o índice Standard & Poor's 500 abriu a sessão desta segunda-feira a negociar inalterado nos 2.378,25 pontos. 

A influenciar o sentimento dos investidores neste início de sessão está a reunião do G20 que decorreu este fim-de-semana na Alemanha. Na declaração conjunta comunicada no passado sábado pelas 20 economias mais poderosas do mundo não constava nenhuma referência directa à necessidade de garantir que o comércio global permaneça livre e aberto.

Ao contrário do habitual, a declaração do G20 exclui a tradicional condenação ao proteccionismo económico, além de não fazer também nenhuma referência à importância do cumprimento do Acordo de Paris sobre o clima, posicionamento que dificilmente deixará de estar relacionado com a nova doutrina de Washington. 

O G20 limitou-se a fazer uma breve referência ao comércio depois de um encontro de dois dias em que ficou patente a incapacidade para alcançar uma posição conjunta, especialmente numa altura em que os Estados Unidos têm defendido a introdução de barreiras alfandegárias.

 

Esta manhã o dólar está a desvalorizar, com o euro a valorizar 0,14% contra o dólar para 1,0753 dólares. A divisa norte-americana negoceia mesmo em mínimos de seis semanas.

A agência Reuters escreve que os analistas americanos estão apreensivos relativamente ao programa orçamental do presidente americano. Donald Trump quer aumentar o investimento público no sector da Defesa, sendo que, em contrapartida, terá de diminuir os gastos com apoios sociais e sistemas de informações para financiar a nova orientação orçamental.

Por outro lado, Trump estará a desperdiçar capital político no esforço que está a ser levado a cabo para substituir o Obamacare por um novo sistema de saúde. 


(Notícia actualizada às 13:51)

A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub