Bolsa Wall Street em queda no terceiro dia de “shutdown”

Wall Street em queda no terceiro dia de “shutdown”

As principais praças norte-americanas arrancaram a sessão em queda esta segunda-feira, o terceiro dia de paralisação parcial de alguns serviços nos Estados Unidos. As quedas são ligeiras e contrariam o optimismo europeu.
Wall Street em queda no terceiro dia de “shutdown”
reuters
Ana Laranjeiro 22 de janeiro de 2018 às 14:42

Numa altura em que as principais praças europeias seguem em alta, Wall Street arranca a semana em queda, com os investidores a manifestarem o seu desapontamento devido ao "shutdown" nos EUA.

O Dow Jones recua 0,23% para 26.01076 pontos. O Nasdaq – que tal como o S&P500  atingiu novos máximos na última sessão – cede 0,03% para os 7.334,168 pontos. E o S&P500 cede 0,01% para 2.809,31 pontos.

No passado sábado, Governo dos Estados Unidos da América determinou o encerramento parcial dos seus serviços devido à falta de fundos para os financiar, após ter falhado a tentativa de compromisso para o Orçamento. A proposta de Orçamento apresentada pelos republicanos obteve mais votos a favor que contra, mas foram insuficientes para aprovar as verbas que exigiam o apoio de 60 senadores. Foram os democratas que forçaram esta paralisação devido à oposição que apresentaram à proposta de Orçamento.

Estes tinham condicionado o seu voto a que os republicanos concordassem em regularizar os cerca de 800 mil jovens indocumentados que são conhecidos como "dreamers" ("sonhadores").

Esta tarde,  o Senado norte-americano vai prosseguir com as negociações sobre um orçamento provisório, prevendo-se para hoje a votação de um eventual acordo que permita reabrir a administração federal, encerrada parcialmente durante o fim-de-semana após o chumbo de um orçamento.

"Sabemos que eles vão (…) acabar por alcançar um acordo. Mas o impacto económico depende de quanto tempo vai durar", disse à Reuters Scott Brown, economista-chefe da Raymond James, na Florida (EUA).

Por esta altura, as acções do Facebook sobem 0,58% para 182,335 dólares. A Microsoft avança 0,09% para 90,085 dólares. Os títulos da Alphabet (dona da Google) crescem 0,69% para 1.151,411 dólares. 

O Citigroup cede 0,06% para 78,25 dólares e o Goldman Sachs cresce 0,09% para 256,359 dólares.


(Notícia actualizada pela última vez às 14:57)