Bolsa Wall Street em queda pelo segundo dia com Apple a pressionar

Wall Street em queda pelo segundo dia com Apple a pressionar

As principais praças norte-americanas estão pelo segundo dia em queda, numa altura em que os investidores digerem a subida das “yields” das obrigações norte-americanas. O mercado aguarda ainda para ouvir Donald Trump a proferir o seu primeiro discurso do Estado da União.
Wall Street em queda pelo segundo dia com Apple a pressionar
Reuters
Ana Laranjeiro 30 de janeiro de 2018 às 14:43

As bolsas norte-americanas estão, pelo segundo dia, em terreno negativo, com o Dow Jones a descer 0,82% para 26.222,74 pontos, o Nasdaq a cair 0,80% para 7.417,121 pontos e o S&P500 a recuar 0,84% para 2.832,14 pontos.

 

Esta desvalorização das praças americanas - registando assim um movimento de alívio face aos ganhos recentes - surge numa altura em que o dólar volta a perder terreno face ao euro, com os investidores a preverem que Janet Yellen, que preside amanhã à última reunião da Reserva Federal, não vá proceder a alterações na política monetária da maior economia do mundo.

 

Por outro lado, as obrigações norte-americanas subiram para máximos de três anos, escreve a Reuters, impulsionadas pelas expectativas do mercado que os banco centrais mundiais se preparam para diminuir os estímulos monetários à medidas que as perspectivas de crescimento económico melhoram, o que poderá estar a condicionar o desempenho bolsista.

 

Esta terça-feira fica ainda marcada pelo primeiro discurso do Estado da União, perante o Congresso, de Donald Trump (Trump já proferiu um discurso perante o Congresso mas não se chama discurso do Estado da União no primeiro ano de uma presidência). Os investidores aguardam para perceber se se confirma as suas previsões e Trump indica neste discurso a sua agenda para este ano.

 

Nas tecnológicas, destaque para a Apple, que desvaloriza 1,72% para 165,07 dólares. Foi noticiado esta segunda-feira, 29 de Janeiro, pela agência Nikkei que a empresa da maçã vai reduzir para metade a sua meta de produção do iPhone X nos três primeiros meses do ano, para cerca de 20 milhões de unidades. Esta notícia, que ontem condicionou a negociação da Apple, pode continuar a penalizar a evolução da empresa. A tecnológica apresenta as suas contas na próxima quinta-feira.

O Facebook perde 1,74% para 182,75 dólares, a Alphabet cai 0,76% para 1.177,475 dólares e a Microsoft desvaloriza 0,49% para 93,46 dólares.

 

 




Saber mais e Alertas
pub