Bolsa Wall Street fecha semana com melhor série de ganhos desde 2016

Wall Street fecha semana com melhor série de ganhos desde 2016

As bolsas norte-americanas fecharam em alta, com os principais índices a estabelecerem novos máximos, animados sobretudo pela Intel e AbbVie. A Starbucks, por seu lado, travou o ímpeto do Nasdaq. Os dados do PIB, que revelaram um crescimento da economia dos EUA abaixo do esperado, não conseguiram ofuscar o optimismo dos investidores.
Wall Street fecha semana com melhor série de ganhos desde 2016
Reuters
Carla Pedro 26 de janeiro de 2018 às 21:17

As bolsas do outro lado do Atlântico desbravaram novos territórios esta sexta-feira e estabeleceram a melhor série de quatro semanas consecutivas de ganhos desde 2016.

 

O Dow Jones encerrou a ganhar 0,84%, para se fixar nos 26.614,85 pontos, naquele que foi um novo máximo de sempre.

 

O Standard & Poor’s 500, por seu lado, avançou 1,18% para 2.872,87 pontos – que constituiu simultaneamente um recorde de fecho e um novo máximo histórico.

 

Também o tecnológico Nasdaq Composite esteve em alta, fechando a somar 0,98%, para 7.505,77 pontos, um nível nunca antes visto.

 

A impulsionar estiveram os bons resultados da tecnológica Intel e da farmacêutica AbbVie, que foram superiores ao esperado pelo consenso de mercado.

 

A Intel encerrou a disparar 10,55% para 50,08 dólares, depois de ter chegado a atingir na negociação intradiária os 50,15 dólares – valor que não alcançava desde Outubro de 2000.

Já a AbbVie reportou lucros acima do esperado relativamente ao quarto trimestre e reviu em alta as projecções para o resultado líquido de 2018, a capitalizar as vendas superiores ao projectado do seu medicamento-vedeta, o Humira, para a artrite reumatoide.

 

Apesar de as contas da Starbucks não terem tido o mesmo acolhimento pelos investidores, chegando mesmo a pesar no Nasdaq, não foram suficientes para dissipar o optimismo reinante. Nem tão pouco os dados do PIB dos EUA, que revelaram um crescimento inferior ao estimado da economia no quarto trimestre.

 

A economia dos Estados Unidos cresceu 2,6% nos últimos três meses do ano, um valor que ficou abaixo do esperado pelo consenso dos economistas, que anteviam uma subida do PIB de 3%.

 

O facto de o dólar ter voltado a desvalorizar face aos seus principais congéneres também animou Wall Street, sobretudo as cotadas com perfil mais exportador.

 

Os investidores continuam à espera de resultados agregados robustos por parte das empresas norte-americanas. Segundo os dados da Thomson Reuters, o consenso dos analistas projecta um aumento de 13,2% dos lucros no quarto trimestre.

 

Das 133 empresas do S&P 500 que já reportaram as suas contas, 79,7% superaram as estimativas – muito acima dos 72% que têm batido, em média, as projecções dos lucros nos últimos quatro trimestres.

 

Na próxima semana, as tecnológicas estarão em força na divulgação das suas contas, nomeadamente a Apple, Amazon, Alphabet (casa-mãe da Google), Microsoft e Facebook.

 

No passado mês de Dezembro, os analistas do Morgan Stanley mantiveram o seu optimismo em relação às chamadas "acções FAANG", o grupo de títulos formado pelo Facebook, Apple, Amazon, Netflix e Google (Alphabet).

 

Segundo cálculos do banco de investimento recolhidos pelo MarketWatch, estes títulos, a par com a Microsoft, representaram 27,5% da subida na capitalização do S&P 500 em 2017, "o terceiro maior nível de concentração durante os mercados altistas dos últimos 20 anos". Só em 2004 e em 1999 é que se produziu uma maior concentração.

 

As cinco grandes marcas da tecnologia mundial ganharam 75.917 milhões de dólares nos primeiros nove meses do ano. O Morgan Stanley continua a recomendar a compra de acções destas empresas, porque contam com vantagens competitivas que reforçam a sua liderança.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo 27.01.2018

A melhor serie de ganhos desde quando?? nao digo mais nada .

General Ciresp 27.01.2018

Como Trump diz:Wall Street PRIMEIRO,America PRIMEIRO.

pub