Bolsa Wall Street no verde apesar de venda de posições nas tecnológicas

Wall Street no verde apesar de venda de posições nas tecnológicas

As principais praças dos Estados Unidos contrariam a tendência de queda de ontem numa altura em que continua a verificar-se a venda de posições detidas nas tecnológicas.
Wall Street no verde apesar de venda de posições nas tecnológicas
David Santiago 28 de junho de 2017 às 14:36

Wall Street abriu em alta depois das perdas registadas na última sessão, marcada pela venda em força de participações detidas nas cotadas tecnológicas, uma tendência que se manteve na pré-abertura dos mercados e parece continuar a verificar-se neste início de sessão.

O tecnológico Nasdaq Composite abriu a sessão desta quarta-feira, 28 de Junho, a ganhar 0,34% para 6.167,816 pontos, o Standard & Poor’s 500 a somar 0,52% para 2.431,99 pontos, e o industrial Dow Jones a avançar 0,53% para 21.423,07 pontos.

 

O sector tecnológico tem estado sob grande pressão nas últimas semanas, com os investidores apreensivos com a acentuada valorização registada por estas cotadas. Por outro lado, também o mais recente ataque informático contra grandes bancos e multinacionais que teve lugar esta terça-feira está a causar preocupação, o que está também a provocar danos colaterais no sector tecnológico.

 

Grandes cotadas tais como a Alphabet (dona da Google) – que ontem foi alvo de uma multa recorde por parte da União Europeia por abuso de posição dominante -, Facebook e Microsoft negociaram ontem pressionadas pelo conjunto de notícias em torno do sector.  A Alphabet abriu a perder 0,51% para 943,21 dólares, a Microsoft a recuar 0,14% para 69,11 dólares e a Amazon a resvalar 0,37% para 973,13 dólares, enquanto, em sentido inverso, o Facebook começou o dia a recuperar, ao subir 0,56% para 151,41 dólares.

Também a marcar este início de dia em Nova Iorque está a garantia ontem dada por Janet Yellen, presidente da Reserva Federal dos Estados Unidos, de que economia norte-americana passa por um momento favorável e estável que permite prosseguir a intenção da Fed de aumentar gradualmente os juros no país. Notícia que animou o sector financeiro da maior economia mundial na última sessão, um sentimento que se mantém neste início de dia com os principais bancos a valorizarem mais de 1%.

A liderar os ganhos no sector segue o Bank of America ao avançar 2,32% para 23,81 dólares, seguido pelo Citigroup a crescer 1,18% para 64,99 dólares, pelo Goldman Sachs a apreciar 1,16% para 222,83 dólares e pelo JP Morgan a apreciar 1,33% para 65,11 dólares. 

 

Por outro lado, o adiamento pelo Senado do Congresso americano da votação do projecto de lei que visa repelir e substituir o Obamacare está a contribuir para o recrudescimento da preocupação dos investidores.

 

Isto porque a administração liderada por Donald Trump tem na reforma do sistema de cuidados de saúde uma prioridade para a política interna que, de alguma forma, poderá desviar atenções do presidente em relação ao prometido plano económico assente em grandes investimento públicos em infra-estruturas e cortes de impostos. 


(Notícia actualizada às 14:52)




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub