Bolsa Wall Street no vermelho com quatro dias de quedas no sector tecnológico

Wall Street no vermelho com quatro dias de quedas no sector tecnológico

As principais praças americanas começaram o dia a transaccionar em terreno negativo, pressionada pelo movimento de vendas no sector tecnológico, que recua pela quarta sessão consecutiva.
Wall Street no vermelho com quatro dias de quedas no sector tecnológico
Reuters
David Santiago 06 de dezembro de 2017 às 14:39
O índice Dow Jones abriu a sessão desta quarta-feira, 6 de Dezembro, a ceder 0,01% para 24.177,84 pontos, seguido pelo Nasdaq Composite a perder 0,31% para 6.741,430 pontos e pelo Standard & Poor's 500 a resvalar 0,37% para 2.629,37 pontos.

Pelo quarto dia seguido, os títulos accionistas ligados ao sector tecnológico estão em queda, penalizando o sentimento em Wall Street. Nas três sessões anteriores, o Nasdaq Composite desvalorizou 1,6% pressionado pelo movimento de vendas de acções das tecnológicas norte-americanas, no que é o pior desempenho em mais de três meses.

 

Nesta altura, os investidores estão também a analisar com maior detalhe os principais pontos das duas versões de reforma fiscal aprovadas em cada uma das câmaras do Congresso.

 

A partir da próxima semana começam as discussões com vista à conciliação das propostas aprovadas na Câmara dos Representantes e no Senado. Entre os principais pontos a causar incerteza passa por saber se o corte da taxa de IRC, de 35% para 20%, será implementado em 2018 ou 2019 bem como o impacto no défice federal da redução de receitas por via de menos impostos colectáveis.

 

A versão aprovada no Senado conta com várias alterações feitas à última hora, como a continuidade do imposto mínimo alternativo sobre as empresas. A proposta inicial da administração liderada por Donald Trump acabava com este imposto, o que se acreditava iria beneficiar em particular as empresas do sector tecnológico. 

 

Há duas outras notícias a marcar o dia em Wall Street. O aumento inesperado das reservas petrolíferas dos Estados Unidos está a contribuir para a desvalorização do preço do petróleo, com o West Texas Intermediate (WTI), negociado em Nova Iorque, a perder 1,15% para 56,96 dólares por barril. A Chevron recua 0,32% para 120,01 dólares.

 

Nota ainda para os dados que confirmam uma vez mais melhoria do mercado laboral da maior economia mundial, com o sector privado a criar 190 mil novos postos de trabalho em Novembro, acima dos 185 mil antecipados pelos economistas.

 

Entre as principais tecnológicas, destaque para a Apple que perde 0,56% para 168,69 dólares.

 

Também a pressionar está a Home Depot, que desliza 1,02% para 180,97 dólares depois de ter anunciado um plano de recompra de acções no valor de 15 mil milhões de dólares. 


(Notícia actualizada às 14:44)




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub