Bolsa Wall Street no vermelho em semana de eleições no Reino Unido

Wall Street no vermelho em semana de eleições no Reino Unido

Na semana em que decorrem as eleições legislativas britânicas e em que o ex-director do FBI vai depor no Senado, os investidores mostram-se expectantes pelos impactos destes eventos, pelo que Wall Street abriu a sessão a negociar em terreno negativo.
Wall Street no vermelho em semana de eleições no Reino Unido
Reuters
David Santiago 06 de junho de 2017 às 14:37

Depois de ontem as principais praças norte-americanas terem terminado o dia a corrigir ligeiramente face aos recordes de fecho e intra-diários alcançados na sexta-feira, Wall Street começou a sessão desta terça-feira, 6 de Junho, a negociar no vermelho. O Dow Jones abriu a cair 0,26% para 21.129,47 pontos, o Nasdaq Composite a recuar 0,22% para 6.281,703 pontos, e o Standard & Poor’s 500 a resvalar 0,26% para 2.429,69 pontos.

 

A marcar a negociação bolsista nos Estados Unidos está a expectativa relativamente a dois importantes eventos que terão lugar na próxima quinta-feira, 8 de Junho.

 

É o dia em que decorrem as eleições gerais no Reino Unido, antecipadas em Abril pela primeira-ministra Theresa May que, desde então, viu a vantagem que detinha nas sondagens relativamente ao rival trabalhista, Jeremy Corbyn, ser progressivamente encurtada a ponto de se acreditar estar em risco a maioria conservadora actualmente detida pelos conservadores no Parlamento.

 

É também a data marcada para a deposição de James Comey, antigo director do FBI, no comité dos serviços de informação do Senado, a câmara alta do Congresso americano. O depoimento de Comey no Senado irá incidir nas alegadas ligações a Moscovo do presidente Donald Trump, de elementos da sua administração e também que fizeram parte da sua equipa de campanha para as presidenciais de Novembro do ano passado.

 

O testemunho de James Comey, que foi demitido por Trump numa altura em que o FBI havia já iniciado uma investigação às conexões entre o entorno do presidente americano e a Rússia, poderá dar pistas sobre a robustez de um potencial, ainda que nesta altura improvável, processo de destituição contra o actual inquilino da Casa Branca.

 

Por outro lado, os investidores também esperam poder avaliar com maior precisão o impacto que a investigação às ligações da administração Trump relativamente ao Kremlin poderá ter na prossecução do prometido plano económico, que o presidente americano afiançou conter um grande corte na carga fiscal e uma forte aposta no investimento em grandes infra-estruturas.

As acções da Perrigo iniciaram o dia a desvalorizar 2,26% para 70,16 dólares, depois de a farmacêutica ter anunciado que o seu CEO pretende abandonar o cargo.

 

Nota negativa ainda para a HD Supply Holdings que começou a sessão a afundar 17,37% para 34,10 dólares, com a cotada a negociar no valor mais baixo desde 8 de Novembro do ano passado, após a distribuidora industrial ter anunciado a intenção de vender a unidade de "private equity" Clayton à Dubilier & Rice por 2,5 mil milhões de dólares. 

 
(Notícia actualizada às 14:48)




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
BCP diga 0.33 é daqui a 9 dias 06.06.2017

BCP DIGA 0.33 é daqui a 9 dias quando a FINTCH subir os RATINGS do MILENIUM BCP e de PORTUGAL

Pharol DISPARA! 06.06.2017

Como já se esparava a Pharol DISPARA acima dos 7%!!!

pub