Bolsa Wall Street quase inalterada depois da pior sessão em dois meses

Wall Street quase inalterada depois da pior sessão em dois meses

As principais praças dos Estados Unidos abriram a penúltima sessão do ano a negociar praticamente inalteradas, com o Dow Jones e o S&P 500 em alta muito ligeira. Isto um dia depois da pior sessão em dois meses.
Wall Street quase inalterada depois da pior sessão em dois meses
Reuters
David Santiago 29 de dezembro de 2016 às 14:36

O índice industrial Dow Jones abriu a sessão desta quinta-feira, 29 de Dezembro, a apreciar ténues 0,05% para 19.843,70 pontos, enquanto o tecnológico Nasdaq Composite iniciou o dia a negociar inalterado nos 5.438,69 pontos. Apesar da descida de ontem, o Dow Jones esteve uma vez mais próximo de superar pela primeira vez a barreira psicológica dos 20 mil pontos.

 

Já o índice Standard & Poor’s 500 começou a penúltima sessão de 2016 a crescer ligeiros 0,08% para 2.251,75 pontos, isto depois de na última sessão ter registado a maior queda em duas semanas, penalizado pelas perdas verificada no sector tecnológico.

 

Este é um início de sessão pouco agitado em Wall Street, numa semana marcada pela tradicional baixa liquidez que caracteriza o período entre o Natal e os festejos de ano novo, isto porque há muitos investidores fora do mercado. É ainda um começo de dia que se segue à pior sessão registada por Wall Street nos últimos dois meses.

 

A marcar este início de sessão está a divulgação dos dados mais recentes relacionados com o mercado laboral norte-americano. Segundo o relatório hoje emitido pelo Departamento do Trabalho dos Estados Unidos, o número de novos pedidos de subsídios de desemprego caiu em 10 mil para 265 mil na semana finda a 24 de Dezembro, uma evolução que ficou em linha com a previsão dos analistas. É a terceira em quatro semanas em que este número de pedidos cai tendo.

Também a influenciar está o petróleo que nos Estados Unidos está a transaccionar próximo do valor mais alto em 18 meses numa altura em que cresce de tom a especulação em torno da oferta petrolífera norte-americana.

 

Segundo explica a agência Bloomberg, o Instituto Americano do Petróleo antecipa que as reservas de petróleo dos EUA terão aumentado em 4,2 milhões de barris por dia, mas as previsões dos analistas para os dados sobre as reservas petrolíferas que o Governo americano irá divulgar na tarde desta quinta-feira apontam para uma nova diminuição dos níveis de oferta do maior consumidor mundial da matéria-prima. 

No sector petrolífero a tendência é de ganhos ligeiros, com a Chevron a ganhar 0,14% para 118,08 dólares e a Exxon a apreciar 0,03% para 90,33 dólares.

 

O destaque pela negativa vai para a Nvidia que abriu a sessão a perder 4,69% para 104,13 dólares.

 

(Notícia actualizada às 14:50)


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub