Bolsa Wall Street recua de máximos com banca a pressionar

Wall Street recua de máximos com banca a pressionar

Depois da melhor semana em mais de um ano em que foram renovados máximos históricos, as principais praças dos Estados Unidos começaram esta semana em queda penalizadas em especial pelo sector financeiro.
Wall Street recua de máximos com banca a pressionar
reuters
David Santiago 08 de janeiro de 2018 às 14:34

O Dow Jones abriu a sessão desta segunda-feira, 8 de Janeiro, a ceder 0,01% para 25.293,62 pontos, seguido pelo Nasdaq Composite a perder ligeiros 0,02% para 7.134,848 pontos, e pelo Standard & Poor's 500 a cair 0,03% para 2.742,35 pontos.

 

Wall Street está assim a ajustar relativamente aos ganhos acumulados na semana passada, período que em as praças norte-americanas registaram a maior valorização semanal em mais de um ano, com o Dow Jones e o S&P 500 a registarem o melhor arranque de ano desde 2013. Sexta-feira, os três principais índices bolsistas americanos alcançaram novos máximos de sempre.

A pressionar neste início de sessão está o sector da banca, com alguns dos maiores bancos a caírem depois de terem revisto em baixa as perspectivas para o quarto trimestre de 2017 devido ao impacto negativo relacionado com a aprovação e promulgação da reforma fiscal promovida pela administração de Donald Trump. O novo enquadramento fiscal penaliza o repatriamento de ganhos de capital, o que se reflecte nas contas da banca.

O JP Morgan segue a perder 0,34% para 107,97 dólares, o Goldman Sachs cai 0,22% para 254,81 dólares, o Bank of America resvala 0,68% para 30,12 dólares, o Citigroup desvaloriza 1,03% para 74,63 dólares, e o Morgan Stanley desliza 0,72% para 52,73 dólares.

 

Nota também para o dólar que segue em alta contra um cabaz das principais divisas mundiais. A valorização da moeda norte-americana surge depois de o abrandamento na criação de empregos divulgada na semana passada não ter causado impacto nas perspectivas dos investidores quanto ao caminho que a Reserva Federal dos Estados Unidos prosseguirá em 2018 no que à política monetária diz respeito.

 

A agência Reuters escreve que durante o fim-de-semana vários elementos da Fed salientaram que para já mantém a intenção de continuar a subida gradual dos juros. Estima-se que a Fed promova três aumentos dos juros ao longo deste ano, repetindo as três subidas do custo do dinheiro decretadas em 2017.

 

Pela positiva o destaque vai para a Caterpillar que soma 0,86% para 163,35 dólares depois de o JPMorgan ter elevado o preço-alvo atribuído à cotada. 


(Notícia actualizada às 14:47)




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
pub