Bolsa Wall Street recua pelo segundo dia à espera de Yellen

Wall Street recua pelo segundo dia à espera de Yellen

A presidente da Reserva Federal fala amanhã na reunião anual de banqueiros no Wyoming. Os analistas não esperam novidades, mas o mercado continua vigilante à espera de sinais sobre a evolução da política monetária.
Wall Street recua pelo segundo dia à espera de Yellen
Reuters
Paulo Zacarias Gomes 24 de agosto de 2017 às 21:01

As bolsas de Nova Iorque fecharam com perdas ligeiras nesta sessão de quinta-feira, 24 de Agosto, uma sessão marcada por novos episódios de incerteza política nos EUA e na véspera de dois discursos esperados no encontro de banqueiros internacionais, entre os quais o de Janet Yellen, a presidente da Reserva Federal norte-americana.

Apesar de terem negociado pouco alteradas em boa parte da sessão, as acções norte-americanas acabaram por ceder no final do dia. O S&P 500 terminou nos 2.438,93 pontos, a deslizar 0,21%, enquanto o tecnológico Nasdaq escorregou 0,11% para 6.271,33 pontos. O industrial Dow Jones perdeu 0,13% para 21.783,54 pontos.

As últimas duas semanas têm sido marcadas pela situação política nos EUA – repercussão dos confrontos de Charlottesville e receios de falta de apoio no Congresso para o avanço de medidas da administração Trump - que cria dúvidas nos investidores sobre a implementação das prometidas reformas fiscais e plano de investimentos.


Esta quinta-feira trouxe um novo episódio à situação em Washington, depois de Donald Trump ter responsabilizado directamente os líderes da maioria republicana no Senado e na Casa dos Representantes por não ter sido já aprovado o aumento do tecto orçamental da administração norte-americana, que pode no limite levar o país a um incumprimento.

A atenção dos investidores deverá agora colocar-se em Jackson Hole. No programa desta sexta-feira desta reunião internacional, além de Janet Yellen também o seu homólogo europeu, Mario Draghi, terá uma intervenção. Embora os analistas esperem poucos ou nenhuns pormenores a serem revelados por ambos, o mercado está sensível a quaisquer indicações sobre retirada de estímulos que possam estar a ser preparadas.

"Os investidores estarão talvez a antecipar que algo saia amanhã dos discursos de Jackson Hole, mas eu ficaria muito surpreendido se acontecesse algo," disse Andrew Brenner, da Natalliance

Securities LLC, à Bloomberg. 


Além do entorno político e monetário, a marcar a sessão esteve igualmente a queda dos preços do barril de petróleo, perante o fecho de refinarias nos EUA perante receios de que a tempestade tropical Harvey possa passar a furacão. O barril de petróleo que negoceia em Nova Iorque transacciona abaixo dos 48 dólares, caindo 1,61%.

(Notícia actualizada às 21:25)




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar