Bolsa Wall Street recua pressionada por incerteza Trump e à espera de resultados

Wall Street recua pressionada por incerteza Trump e à espera de resultados

As praças bolsistas norte-americanas encerraram em queda, com os investidores a aguardarem pela época trimestral de resultados que amanhã arranca oficiosamente com dois grandes bancos a mostrarem contas.
Wall Street recua pressionada por incerteza Trump e à espera de resultados
Paulo Zacarias Gomes 12 de janeiro de 2017 às 21:04

Depois de ontem terem recuperado das perdas infligidas pelas declarações do presidente eleito em ameaça às farmacêuticas, as bolsas norte-americanas acabaram por ceder aos receios em torno da incerteza da política económica de Trump e nas vésperas do arranque da época de resultados trimestrais.

As maiores quedas do dia couberam ao tecnológico Nasdaq (que recuou de máximos históricos, 0,29% para 2.270,44 pontos) e ao industrial Dow Jones (mais longe da marca dos 20.000 pontos, encerrando em 19.891 pontos, uma queda de 0,32%). O mais representativo dos índices, o S&P 500, terminou o dia a cair 0,21% para 2.270,44 pontos.

Os investidores digerem a ausência de novidades ou detalhes sobre a política económica de Donald Trump (nomeadamente estímulos fiscais e programa de investimento em infra-estruturas) na conferência de imprensa de ontem e aguardam pelo arranque da época de resultados do último trimestre do ano, com o JPMorgan, o Bank of America e o Wells Fargo entre os primeiros a mostrar contas.

A penalizar está ainda, segundo a Reuters, o facto de as empresas não estarem a recomprar acções e de os investidores estarem a preferir aplicar dinheiro no mercado de dívida.

"As empresas não podem compras acções e os investidores pararam subitamente de comprar desde as eleições. Essa pode ser a razão pela qual vemos alguma queda hoje," disse o analista Jeffrey Kleintop, da Charles Schwab, àquela agência noticiosa. Contudo, defende que poderá tratar-se de um fenómeno temporário caso os resultados apresentados amanhã saiam melhor que o previsto.

Os sectores financeiro, energético e da indústria foram os que mais pesaram, dentro do S&P 500, para as quedas.

(Notícia actualizada às 21:11 com mais informação)


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub