Bolsa Wall Street regressa ao verde no arranque de encontro da Fed

Wall Street regressa ao verde no arranque de encontro da Fed

As principais praças bolsistas dos Estados Unidos negoceiam em terreno positivo no dia em que começa a reunião de dois dias da Reserva Federal. Resultados acima do esperado impulsionam.
Wall Street regressa ao verde no arranque de encontro da Fed
Reuters
David Santiago 25 de julho de 2017 às 14:36

O índice DowJones abriu a sessão desta terça-feira, 25 de Julho, a ganhar 0,71% para 21.666,61 pontos, seguido pelo Standard &Poor’s 500 a somar 0,37% para 2.479,06 pontos. Já o Nasdaq Composite abriu a ceder 0,04% para 6.408,070 pontos, isto depois de ontem este índice tecnológico ter marcado um novo máximo histórico durante a sessão.

 

Os investidores americanos aguardam com expectativa os resultados da reunião de dois dias da Reserva Federal dos Estados Unidos que hoje arranca. Isto numa altura em que a taxa de inflação moderada e ainda distante da meta de 2% leva os investidores a acreditar que o banco central americano poderá ter de rever o objectivo de promover aumentos graduais dos juros, incluindo neste ano.

 

O dólar também negoceia em mínimos de mais de um ano no índice que compara o comportamento da moeda norte-americana contra um cabaz das principais divisas mundiais. A instabilidade política, provocada por uma administração Trump que tem sido incapaz de apresentar o prometido plano económico assente em cortes fiscais, tem desanimado os mercados.

 

A animar os mercados mundiais está a primeira emissão de dívida desde 2014 que a Grécia tem agendada para esta terça-feira, dia em que pretende colocar títulos de cinco anos. A estabilização no seio da Zona Euro está a contribuir para que o risco da dívida de países como Portugal e Itália esteja em mínimos face à dívida alemã.

A apoiar os ganhos em Wall Street, em particular do S&P 500, está a Catterpillar e a McDonald’s, com a primeira a ganhar 4,07% para 112,58 dólares e a segunda a avançar 3,94% para 157,83 dólares, isto depois de ambas as cotadas terem apresentado resultados que superaram as estimativas dos analistas.

 

Em sentido inverso está a negociar a Alphabet, dona do Google, que perde 3,02% para 968,16 dólares depois de a gigante tecnológica ter alertado que os custos operacionais vão permanecer elevados.


(Notícia actualizada às 14:38)




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub