Bolsa Wall Street ronda recordes com valorização do petróleo

Wall Street ronda recordes com valorização do petróleo

As principais bolsas norte-americanas encerraram em alta, sustentadas sobretudo pelos títulos da energia, com o tecnológico Nasdaq Composite a chegar mesmo a marcar um novo máximo histórico.
Wall Street ronda recordes com valorização do petróleo
Reuters
Carla Pedro 27 de dezembro de 2016 às 21:22

O índice industrial Dow Jones encerrou a somar 0,06%, para 19.945,04 pontos, voltando a aproximar-se da fasquia dos 20.000 pontos. Há precisamente uma semana atingiu um novo máximo de sempre nos 19.987,63 pontos.

 

O Standard & Poor’s 500, por seu lado, avançou 0,20% para 2.268,86 pontos. O seu mais recente máximo histórico foi alcançado na sessão de 13 de Dezembro, quando se fixou na negociação intradiária nos 2.277,53 pontos.

 

Também o tecnológico Nasdaq Composite acompanhou o movimento altista, fechando a ganhar 0,45% para 5.487,44 pontos. Durante a sessão chegou a estabelecer um novo recorde, nos 5.512,37 pontos.

 

O petróleo esteve a ganhar terreno pela sétima sessão consecutiva, marcando assim a mais longa série de ganhos dos últimos quatro meses, o que impulsionou os títulos ligados à energia.

 

O volume de negociação continua, no entanto, a ser mais baixo do que o habitual, dada a época do ano.

 

O investidor multimilionário Carl Icahn, que na semana passada foi nomeado pelo presidente eleito Donald Trump como conselheiro especial para o ajudar a reformar a regulação federal para as empresas, já veio mostrar-se preocupado com as bolsas norte-americanas "no curto prazo", devido às fortes subidas após a eleição de Trump. Segundo Icahn, em entrevista à CNBC, muitos investidores poderão estar à espera de Janeiro para venderem as suas posições – provocando um movimento baixista nas bolsas –, na expectativa de impostos mais baixos sobre as mais-valias em 2017.

 

Benno Galliker, operador do Luzerner Kantonalbank, partilha os mesmos receios. Em declarações à Bloomberg esta terça-feira, o trader disse que depois da escalada observada este mês em Wall Street, "todos estão um pouco receosos, à espera de perceber se o mercado já atingiu o topo e veremos uma correcção ou se o ‘rally’ vai prosseguir".




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub