Bolsa Wall Street volta ao vermelho após sessão de fortes ganhos

Wall Street volta ao vermelho após sessão de fortes ganhos

As principais praças dos Estados Unidos começaram a negociação bolsista desta quarta-feira em queda ligeira, isto depois de na terça-feira, apesar da grande volatilidade verificada, terem registado o melhor dia em 15 meses.
Wall Street volta ao vermelho após sessão de fortes ganhos
Reuters
David Santiago 07 de fevereiro de 2018 às 14:37

O índice Dow Jones abriu a sessão desta quarta-feira, 7 de Fevereiro, a recuar 0,33% para 24.830,07 pontos, acompanhado pelo Nasdaq Composite a perder 0,20% para 7.101,422 pontos e pelo Standard & Poor’s 500 a resvalar 0,36% para 2.685,53 pontos.

As perdas ligeiras sentidas neste início de negociação bolsista surgem depois de na terça-feira ter sido registada uma sessão de fortes ganhos, a melhor em 15 meses. Terça-feira ficou marcada pela forte volatilidade sentida, levando o industrial Dow Jones a variar mais de mil pontos ao longo do dia. Já o S&P 500 teve o melhor dia desde a véspera da eleição de Donald Trump, em Novembro de 2016.

 

Foi já depois do encerramento das bolsas europeias, que voltaram a fechar no vermelho, que Wall Street caminhou para um "rally" no final da sessão. A agência Reuters escreve que os investidores acreditam que a volatilidade verificada nos últimos dias veio para ficar.

 

A contribuir para as desvalorizações das últimas semanas está a subida da inflação, que leva os bancos centrais a retomarem políticas monetárias mais agressivas, designadamente através do aumento dos juros. O acentuado movimento de vendas desta semana surgiu depois de os salários nos Estados Unidos terem crescido acima do esperado.

Entre as cotadas que mais estão a pressionar o sentimento em Wall Street está a Microsoft, que desliza 1,32% para 90,13 dólares, a Apple, que recua 0,82% para 161,70 dólares, e a Intel, que cede 0,18% para 44,83 dólares.

 

Em sentido inverso e em destaque pela positiva está a Snap que dispara 28,45% para 18,06 dólares. A dona do Snapchat valoriza depois de ter alcançado aumentos do número de utilizadores e receitas no quarto trimestre de 2017.


(Notícia actualizada às 14:41)




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub