Mercados Yellen: Preços das acções estão em níveis "elevados"

Yellen: Preços das acções estão em níveis "elevados"

A antiga presidente da Reserva Federal considera que os preços das acções e do imobiliário comercial estão em níveis elevados, mas recusa falar em bolhas.
Yellen: Preços das acções estão em níveis "elevados"
Andrew Harrer/Bloomberg
Nuno Carregueiro 04 de fevereiro de 2018 às 17:55

Numa entrevista para assinalar a saída da presidência da Reserva Federal (Fed) - Jerome Powell assumiu os comandos do banco central mais poderoso do mundo este sábado – Janet Yellen deu uma entrevista ao programa "Sunday Morning" da CBS.

 

"Bem, não quero dizer muito elevado. Mas quero dizer elevado", afirmou a antiga presidente da Fed na entrevista que foi gravada na sexta-feira (dia em que ainda era presidente do banco central) e transmitida este domingo. Os PER (rácio que mede a relação entre a cotação e os lucros por acção das empresas) "estão perto do limite máximo dos intervalos históricos", argumentou.

 

No que diz respeito aos preços do imobiliário comercial, "também estão elevados em relação ao valor das rendas".

 

"Agora é uma bolha ou uma valorização muito elevada? É difícil de dizer. Mas é uma fonte de alguma preocupação que as avaliações dos activos estejam tão elevadas", acrescentou.

 

Menos dúvidas sobre este tema tem um seu antecessor na Fed. Alan Grenspan defendeu esta semana que em Wall Street existem duas bolhas: uma nas acções e outra nas obrigações.

 

Wall Street está há cerca de um ano a atingir máximos históricos de forma quase consecutiva, sendo que na semana passado sofreu a desvalorização mais pesada desde que Trump tomou posse, devido à forte alta nas "yields" das obrigações dos EUA e perspectiva de subida mais acelerada nos juros da Fed, pois o banco central prevê um aumento da inflação.

 

Apesar do alerta sobre as cotações das acções e do imobiliário, Yellen mostrou não estar muito preocupada com o impacto na economia e no sistema financeiro de uma correcção nos preços destes activos. "O sistema financeiro está muito mais capitalizado. O sistema bancário está mais resiliente. Se acontecer uma descida na avaliação dos activos, não vai danificar indevidamente o coração do nosso sistema financeiro".

 

Yellen mostrou-se também optimista com a evolução da economia norte-americana, que já vai no nono ano consecutivo de expansão. "As recuperações não morrem devido à velhice", argumentou na entrevista à CBS.



Yellen desiludida por não continuar na Fed

 

Yellen foi a primeira mulher a assumir o cargo de presidente da Fed e chegou a ser opção de Trump para cumprir mais um mandato, embora a escolha do presidente dos Estados Unidos tenha recaído sobre Jerome Powel.   

 

Na entrevista a Rita Braver, da CBS, Yellen não esconde a decepção com a decisão de Trump. "Deixei bem claro que queria continuar, por isso sim, fiquei com uma sensação de desilusão" por não ter sido reconduzida, afirmou.

 

Actualmente com 71 anos, Yellen esteve quatro anos à frente da Fed, tendo iniciado o actual ciclo de aumento de juros, que se deverá prolongar nos próximos meses. Este período foi "o núcleo da minha existência", afirmou Yellen, que elogia o seu sucessor. Powel, que é governador da Fed desde 2012, é "cuidadoso, equilibrado e dedicado ao serviço público".   




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Advogado do diabo Há 2 semanas


Valores realmente elevados em relação ao típico do passado,
mas não indiciadores de quaisquer desequilíbrios aparentes nas cotações.
No entanto é:
“preciso avisar toda a gente” :
os Mercados de Capitais são sistemas complexos,
normalmente em equilíbrio, como agora se supõe estar a acontecer.
Mas os sistemas complexos
(como também o são a vida na Terra ,
ou a evolução do movimento das placas tectónicas),
são dados a processos endógenos de evolução,
que subitamente ocasionam acontecimentos catastróficos :
crashes nos Mercados de Capitais; grandes extinções na Vida na Terra, até agora 5:, ruturas nas placas tectónicas e consequentemente grandes sismos etc..
Portanto, se não há motivo para alarme no tocante às atuais cotações,
não há nem nunca deverá haver afastamento da possibilidade de um crash a qualquer momento
(como, infelizmente, também, da tragédia da repetição a qualquer momento, do sismo de 1755, que tem uma probabilidade de repetição de 2 em 2 séculos, aproximadamente)

comentários mais recentes
Preços das acções estão em níveis "elevados"? Há 2 semanas

Mas que grande novidade... Foi preciso esta Senhora o vir dizer? Deixem-se de pieguices. Toda a gente o sabe.

Alfon Há 2 semanas

Não é o aumento fos juros que vai provocar inflação. A inflação é que leva ao aumento dos juros.

Criador de Touros Há 2 semanas

Já se está a vingar do Trump !!

Advogado do diabo Há 2 semanas


Valores realmente elevados em relação ao típico do passado,
mas não indiciadores de quaisquer desequilíbrios aparentes nas cotações.
No entanto é:
“preciso avisar toda a gente” :
os Mercados de Capitais são sistemas complexos,
normalmente em equilíbrio, como agora se supõe estar a acontecer.
Mas os sistemas complexos
(como também o são a vida na Terra ,
ou a evolução do movimento das placas tectónicas),
são dados a processos endógenos de evolução,
que subitamente ocasionam acontecimentos catastróficos :
crashes nos Mercados de Capitais; grandes extinções na Vida na Terra, até agora 5:, ruturas nas placas tectónicas e consequentemente grandes sismos etc..
Portanto, se não há motivo para alarme no tocante às atuais cotações,
não há nem nunca deverá haver afastamento da possibilidade de um crash a qualquer momento
(como, infelizmente, também, da tragédia da repetição a qualquer momento, do sismo de 1755, que tem uma probabilidade de repetição de 2 em 2 séculos, aproximadamente)

ver mais comentários
pub