Investidor Privado Comissões - O que precisa fazer para pagar pouco (ou quase nada)

Comissões - O que precisa fazer para pagar pouco (ou quase nada)

Os bancos permitem aos clientes a isenção de algumas comissões bancárias. Em troca, pedem a sua fidelização. As condições são muitas e variam entre bancos. Tratar de transferências “on-line” também influencia os encargos cobrados pelos bancos. Beneficie das isenções e poupe quase 100 euros por ano.
A maioria dos bancos a actuar em território nacional oferece comissões de gestão de conta, anuidades de cartões e, até, alguns encargos relacionados com transferências de empréstimos bancários. Mas nem todos os clientes têm acesso a estas ofertas. Para usufruir destes “descontos” terão de preencher alguns requisitos. Os bancos oferecem e pedem em troca fidelização dos clientes.

Para conseguir que o banco não lhe cobre uma comissão de gestão de conta terá de domiciliar o seu ordenado ou ter um crédito à habitação. Estas são as principais exigências do banco para se livrar destes encargos. Mas poderá beneficiar destas ofertas de outras formas, dependendo do banco. Quanto mais produtos subscrever e quanto maior for o seu envolvimento com o seu banco, mais “ofertas” terá à sua disposição, como “spreads” mais baixos nos empréstimos.

Já no que toca aos cartões, as exigências são diferentes. As primeiras anuidades são, regra geral, oferecidas, mas quando chega ao segundo ano terá de suportar um encargo. No caso dos cartões de débito a comissão de gestão é cobrada. No caso dos cartões de crédito, há situações em que consegue beneficiar de ausência destas comissões. Mas, para isso, terá de usar com alguma regularidade o seu cartão de crédito. Como explica a Caixa Geral de Depósitos no seu “site” oficial, no cartão de crédito Caixa Classic um cliente pode garantir “a oferta das anuidades seguintes” se usar o cartão “num montante mensal médio igual ou superior a 250 euros”, ou seja, três mil euros por ano. Ou o BPI onde, se a média dos saldos mensais em dívida for igual ou superior a 150 euros, fica isento da comissão cobrada.

Mas há mais comissões e encargos que poderá não pagar, dependendo do vínculo que tem com o banco e que quer passar a ter. Se optar por transferir o seu empréstimo à habitação para outro banco, a instituição que o recebe oferece alguns dos encargos que teria, como a abertura do processo e a avaliação do imóvel (ver texto ao lado).

Outra forma de conseguir escapar a algumas comissões é trocar os veículos tradicionais pela Internet ou pelo telefone.

Transferências bancárias através dos serviços “on-line” ou as requisições de cheques através deste veículo, estão entre alguns dos serviços que os bancos oferecem sem cobrarem comissões. O Millennium bcp permite aos seus clientes beneficiar da isenção de comissões de 10 cheques por mês, caso estes sejam emitidos nas máquinas de rede interna de “self service” do banco. Porém, os clientes continuam sujeitos ao pagamento do imposto de selo por cada cheque. Mas não é apenas este banco que oferece este serviço.

A maioria dos bancos oferece mais serviços sem cobrar comissões quando os clientes optam por tratar das coisas via Internet. E se não oferecem as comissões, os valores cobrados são inferiores. Uma das justificações prende-se com necessidades menores de ter pessoas a tratar das coisas. Ou seja, os bancos têm custos menores.

Um dos conselhos mais recorrentes, quando se contrata um crédito, é a comparação das propostas dadas por vários bancos. Mas esta máxima também se aplica quando se trata de uma abertura de conta ou da prestação de serviços por parte dos bancos. Todas as instituições praticam preçários diferentes e, dependendo do veículo usado pelo cliente, podem poupar-se valores significativos. Compare os custos e tenha em mente que pode poupar cerca de 100 euros num período de um ano se usufruir das isenções de comissões. E, tal como nos casos dos empréstimos, tente negociar com o seu banco com o intuito de pagar menos.

BES e Santander oferecem as anuidades dos cartões de débito e crédito

O Jornal de Negócios fez a comparação entre os cinco maiores bancos nacionais e chegou; à conclusão que o Banco Espírito Santo (BES) e o Santander são os únicos que, além de isentarem as despesas de manutenção de conta, permitem pou; par os encargos com as anuidades dos cartões de crédito e débito. Recorremos aos “sites” oficiais dos bancos na Internet, para consultar os seus preçários, e à linha de apoio ao cliente do BES, uma vez que este não disponibiliza no “site” os preços praticados no balcão. As condições que permitem a isenção são muitas e variam, mas todos os bancos exigem alguma fidelização.



CONDIÇÕES

CGD
Conta ordenado ou reforma e pensões ou;
Ter aplicações associadas e um dos titulares com património financeiro com saldo médio trimestral igual ou superior a 2.500 euros ou;
Jovens até aos 25 anos com conta e alunos universitários ou; Contas cujo saldo médio trimestral seja superior a 1.500 euros ou;
As contas de serviços mínimos bancários.
A primeira anuidade dos cartões de crédito e débito é gratuita.

Millennium BCP
Idade inferior a 26 anos ou; Domiciliação de vencimento/reforma de montante igual ou; superior a 350 euros ou; Crédito habitação ou; Solução reforma (PPR ou;
outros produtos de reforma) ou;
Deter em carteira 1.000 ou;
mais acções do BCP ou;
Património financeiro de montante igual ou;
superior a €35.000 ou;
Novos clientes (durante os três primeiros meses).
No caso do cartão de crédito, a anualidade da segunda prestação ou das seguintes poderá ser gratuitas se a facturação anual a crédito for superior a 1.000 euros.
A primeira anuidade do cartão de débito não será cobrada.

Santander/Totta
Ter conta jovem ou universitário ou;
Domiciliar ordenado ou;
a reforma/ soluções reforma ou;
Ter conta protocolo ou;
empresário ou;
Ter crédito à habitação ou;
Conta accionista (com mais de 100 acções) ou;
Ser cliente ‘premium’ ou ‘private’ ou;
Ter super conta residentes no estrangeiro.
A primeira anuidade dos cartões é gratuita. As seguintes anuidades do cartão de crédito são gratuitas para clientes com idade igual ou; superior a 18 anos.
Nos cartões de débito as despesas são gratuitas quando autorizado pelos representantes legais quando o cliente é menor.

BES
Domiciliação de ordenado no BES ou;
Plano BES (solução composta por um depósito a prazo, um fundo de investimento e/ou;
por um PPR e um financiamento) ou;
Ter um PPR ou;
PPR/E BES com entregas de valor igual ou;
superior a 600 euros nos últimos 12 meses.

BPI
Conta ordenado: Especial, BPI Gold, BPI (desde que tenha domiciliação automática de ordenado nesta conta), BPI Gold CI ou;
Conta Júnior 0-13 ou;
Conta Jovem 13-25 ou;
Conta Pensionista com domiciliação de pensão.
O cartão de crédito tem isenção de anuidade caso a média dos saldos mensais em dívida for igual ou; superior a 150 euros.


Bancos oferecem comissões quando transfere crédito

Quando se contrai um empréstimo à habitação não se pode pensar apenas nas prestações mensais. Há muitos custos associados a um crédito para aquisição de casa: abertura de dossiê, avaliação de imóvel, registos ou escritura. E raros são os bancos que cobrem algumas destas despesas, a não ser em algumas campanhas promocionais. Contudo, para atrair novos clientes, roubando-os à concorrência, os bancos oferecem algumas destas despesas. A maioria cobre, actualmente, os custos processuais de um contrato de crédito à habitação. As instituições bancárias lançaram campanhas com o intuito de atrair novos clientes e, entre elas, estão a oferta de despesas de abertura do processo e de avaliação do imóvel, que, em média, ascendem aos 400 euros. É certo que, em alguns casos, a “oferta” obriga à fidelização. Tal como foi noticiado há cerca de um ano, alguns bancos exigem que os clientes que beneficiem destas condições permaneçam na instituição durante alguns anos, ou devolvam os encargos que o banco cobriu no início do processo.


Isenção de comissões permite poupar até 82 euros por ano

De acordo com o seu perfil como cliente e o seu banco, a poupança anual pode variar entre os 70 euros até aos 82 por ano.

Já pensou quanto pode poupar se beneficiar das isenções que o seu banco lhe disponibiliza? O Jornal de Negócios fez os cálculos e concluiu que pode poupar até 82 euros no final do ano caso beneficie das isenções que o banco lhe pode oferecer. As instituições bancárias oferecem, actualmente, várias comissões de gestão, com o intuito de atrair clientes. Entre as mais comuns, estão as comissões de manutenção de conta à ordem e as primeiras anuidades dos cartões de crédito.

Para analisar as práticas de comissionamento foram considerados os cinco maiores bancos portugueses e concluiu-se que, num dos casos, a poupança anual conseguida com as isenções pode superar os 82 euros. Entre os bancos estudados, é no Millennium bcp que a poupança é maior, ao chegar aos 82 euros por ano. Se for cliente da Caixa Geral de Depósitos (CGD), a sua poupança poderá chegar aos 70,5 euros e será a mais baixa. Diferenças justificadas pelo facto de o Millennium cobrar comissões mais elevadas do que o banco estatal.

Os valores que o Santander, o Banco Espírito Santo (BES) e o BPI permitem aos seus clientes poupar, situam-se entre os 70 e os 80 euros. Os clientes do Santander podem poupar até 80,3 euros por ano, enquanto os do BES podem chegar ao fim do ano com mais 72,17 euros na sua conta. Já no caso do BPI, o banco permite aos seus clientes uma poupança de até 73,24 euros caso seja abrangido pelas isenções.

No caso das despesas associadas à manutenção da conta, estas podem variar mesmo dentro do próprio banco, estando dependentes de questões como o património do cliente, a idade ou os serviços que estes detêm. Os intervalos praticados dentro do mesmo banco podem ser tão amplos como os verificados no Satander, que tem como limites os 22 euros de comissões e os 59,8 euros anuais, conforme as características de cada cliente.

Relativamente às anuidades dos cartões de crédito, o Santander é quem cobra o valor mais baixo, logo, são os clientes deste banco que menos poupam quando beneficiam da sua isenção. Estas poupanças também dependem do produto contratado, uma vez que existem vários cartões de crédito no mercado e oferecidos por cada banco. Ainda assim, ao final do ano, podem poupar a anuidade de 9,5 euros. No extremo oposto estão os clientes do Millennium bcp, BES e BPI que podem poupar 15 euros por ano. No caso dos cartões de débito, o Santander permite a maior e a menor poupança uma vez que as anuidades do banco variam entre os 3,5 euros e os 11 euros. Desta forma, é fundamental que analise a sua situação e que se informe junto do seu banco, pois as condições variam de cliente para cliente.


Os custos a que ainda não pode escapar

Os bancos têm aumentado o número de serviços aos quais os clientes podem ter acesso sem pagar comissões, dependendo de algumas condições. Ainda assim, há muitos encargos aos quais ainda não consegue escapar. Quer cheques? Quer fazer transferências bancárias para outros bancos? Quer um crédito? Quer investir? A todas estas operações estão associadas comissões bancárias.

O Jornal de Negócios consultou os preçários dos cinco maiores bancos nacionais e fez as contas. Por pedir 10 cheques cruzados, em média pagará mais de 5,50 euros, não incluindo os portes de envio. Da mesma forma, se pretender fazer uma transferência interbancária, poderá ter de despender, também em média, cerca de 3,66 euros. Quer no caso dos cheques, quer nas transferências, o banco BPI é o que menos cobra por estes serviços.

Se, por outro lado, necessitar de um crédito à habitação, a abertura de novos processos e a avaliação do seu imóvel ascenderá a cerca de 400 euros. Porém, numa situação de transferência de crédito para outro banco, poderá ficar isento deste valor. Terá, ainda, de ter em conta o processamento de mensalidade que em média lhe custará 1,17 euros. O BPI, dos cinco bancos estudados, é o único que não cobra este encargo.

Se for investidor também terá de suportar algumas comissões às quais não consegue fugir. Em média, se negociar acções nacionais terá de ter em conta um custo de cerca de 12 euros e, se preferir recorrer ao mercado internacional, os custos ascenderão aos 31,75 euros.

Se considerarmos apenas estes exemplos, os seus encargos serão superiores a 450 euros e terá de ter em conta que em algumas situações as comissões são variáveis consoante o montante da operação como é o caso das ordens de bolsa. Existem ainda mais comissões às quais os clientes não conseguem fugir, como é o caso dos serviços cambiais.

De realçar é o facto de estes custos estarem subjacentes ao serviço prestado no balcão da sua agência bancária. Os serviços alternativos que os bancos têm vindo a disponibilizar, como é o caso do atendimento por telefone ou via Internet, permitem ao cliente utilizar serviços mais baratos.

As Comissões mais baratas






Habitação

Abertura do processo e avaliação do imóvel (valor médio) € 400

Processamento de mensalidade BPI: €0








Serviços bancários

Cheques BPI: €4

Transferências interbancárias CGD e Santander: €0

Transferências entre bancos BPI: €3

Câmbios CGD: €8,23








Investidores

Ordens de acções nacionais BES: €5,20 ou BPI:0,5%

Ordens de acções internacionais BPI: €25