Trading Há quem aposte meio milhão de dólares que petróleo vai passar os 80 dólares

Há quem aposte meio milhão de dólares que petróleo vai passar os 80 dólares

Preço do barril de petróleo vai disparar nos próximos meses?
Há quem aposte meio milhão de dólares que petróleo vai passar os 80 dólares
Bloomberg
Mariana Adam 09 de junho de 2017 às 15:33

O preço do barril de petróleo está a caminho da terceira semana de perdas, mas há quem acredite que o mercado vai inverter radicalmente. A Bloomberg revela que, na passada quarta-feira, alguém apostou meio milhão de dólares numa subida de 66% do preço do petróleo até ao final do ano. Ou seja, esse investidor mistério acredita que o barril de petroléo vai disparar de 45 para 80 dólares até Dezembro.

 

O West Texas Intermediate (WTI), negociado em Nova Iorque, cai esta sexta-feira, dia 9 de Junho, 0,33% para 45,49 dólares, enquanto o Brent, transaccionado em Londres, cede 0,33% para 47,70 dólares, regressando ao patamar de preços anterior à extensão dos cortes na produção pela OPEP. A matéria-prima tem vindo a desvalorizar devido aos receios de que o aumento da produção norte-americana anule a diminuição da produção da OPEP - que concordou, em Maio, prolongar os cortes na produção até ao final do primeiro trimestre de 2018.


A Bloomberg diz que este apostador comprou 10 milhões de barris de petróleo brent, por 80 dólares cada barril, no mercado de futuros e bateu todas as apostas que estão no mercado. Ole Hansen, analista de commodities da Saxo Bank diz que se trata "claramente de um prémio de seguro geopolítico". As tensões no Médio Oriente estão a ser "ignoradas" pelos mercados, acrescenta o especialista avisando que esta postura pode ser "perigosa" para os investidores. A Bloomberg diz que este apostador, que pagou 5 cêntimos por barril, deverá ser um fundo especulativo ou um investidor muito rico e está a contar com uma escalada de tensão entre a Arábia Saudita e o Qatar.


Menos de duas semanas depois de terem acordado o prolongamento dos cortes de produção, a Arábia Saudita, a Líbia e os Emirados Árabes Unidos cortaram relações diplomáticas com o Qatar devido ao alegado apoio deste país a terroristas, uma medida que fez regressar a incerteza ao mercado. Entretanto, o maior campo petrolífero da Líbia que estava a produzir cerca de 270 mil barris de petróleo por dia foi forçado a parar a produção devido aos protestos dos trabalhadores.


Recorde-se que ainda esta semana foi revelado um aumento inesperado das reservas de crude nos EUA, o departamento da energia norte-americano ter reportado um aumento das reservas de petróleo diário de 3,3 milhões de barris, na semana terminada a 26 de Maio. Já os inventários de gasolina no país aumentaram 4 milhões de barris no mesmo período.


No meio deste cenário, há também quem defenda que a inversão no mercado é inevitável porque simplesmente os preços do petróleo estão próximos do seu nível mais baixo do ano, e tão baixos que só podem subir no curto prazo, esta é a teoria de Olivier Jakob, analista da Petromatrix GmbH, defendida num email divulgado a clientes.

Conheça mais sobre as soluções de trading online da DeGiro.




pub