Matérias-Primas Petrolíferas apanhadas de surpresa com subida do ISP

Petrolíferas apanhadas de surpresa com subida do ISP

A portaria que define a subida do imposto foi publicada esta quinta-feira, mas as petrolíferas só a receberam já depois da meia-noite quando já estava em vigor. Nos postos, os preços ainda não reflectem o aumento.
Petrolíferas apanhadas de surpresa com subida do ISP
Reuters
Paulo Moutinho 12 de fevereiro de 2016 às 09:19

As petrolíferas não foram avisadas da entrada em vigor do aumento do Imposto sobre os Produtos Petrolíferos (ISP). A Apetro revela, ao Negócios, que só recebeu a portaria que define a subida de seis cêntimos por litro neste imposto "depois da meia-noite". Não foram avisadas com antecedência, dizem, pelo que os valores de venda ao público ainda não estão, até ao momento, a reflectir a subida.

"A portaria chegou-nos depois da meia-noite. Não houve aviso nenhum", diz António Comprido, secretário-geral da Associação Portuguesa de Empresas Petrolíferas, que representa a Galp Energia, Repsol, BP, Cepsa, entre outras. A portaria foi publicada esta quinta-feira, entrando "em vigor no dia seguinte à sua publicação", ou seja, esta sexta-feira.


A Galp Energia diz ao Negócios que também "não tinha conhecimento da publicação desta portaria", pelo que os valores de venda nos postos de abastecimento da empresa continuam sem reflectir a subida de seis cêntimos por litro tanto na gasolina como no gasóleo. Ainda não foi possível obter esclarecimentos sobre a actualização ou não dos valores por parte da Repsol e da BP.


O Negócios contactou o Ministério das Finanças para saber a que horas foi publicada a portaria, mas ainda não obteve resposta. Com actualização ou não dos valores de venda ao público, as petrolíferas já estão a pagar o aumento de seis cêntimos, ou seja, o Estado já está a arrecadar receita extra com esta medida que deverá render, este ano, 2.700 milhões de euros.


A medida estava inscrita na proposta de Orçamento do Estado para este ano, sendo que a perspectiva era que se apenas avançasse aquando da aprovação do documento no Parlamento, mas acabou por entrar já em vigor através da portaria n.º 24-A/2016.


(Notícia actualizada às 9:25 com mais informações sobre a aplicação do aumento do ISP)




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado ABCDEF1 12.02.2016

Não foram só as petrolíferas a ficar surpresas com a atitude destes ladrões e cobardes ao montarem mais esta emboscada do aumento duma hora para a outra; nem deram hipótese de enchermos os depósitos antes do assalto.

comentários mais recentes
surpreso1 12.02.2016

Eles têm que nos roubar depressa!

ABCDEF1 12.02.2016

Não foram só as petrolíferas a ficar surpresas com a atitude destes ladrões e cobardes ao montarem mais esta emboscada do aumento duma hora para a outra; nem deram hipótese de enchermos os depósitos antes do assalto.

a ver vamos 12.02.2016

Habituem-se: agora os impostos aumentam por portaria do Governo, com base (?) num dos vários esboços de orçamento do estado entregues e a entregar no parlamento, publicada às escondidas, de madrugada mas com data da véspera, para aplicar Já! Estamos na Venezuela ou na Coreia do Norte?!

pub
pub
pub
pub