Matérias-Primas Subida do ISP vai elevar impostos para 69% em cada litro da gasolina

Subida do ISP vai elevar impostos para 69% em cada litro da gasolina

Com o anunciado aumento do imposto sobre os produtos petrolíferos, o peso da fiscalidade em cada litro de combustível vai subir ainda mais. Na gasolina já era de dois terços. Vai ficar mais perto dos 70%.
Paulo Moutinho 22 de Janeiro de 2016 às 18:14

Os preços dos combustíveis estão a descer, mas os impostos vão aumentar. O Orçamento do Estado para este ano, cujo esboço foi apresentado por Mário Centeno, ministro das Finanças, vai fazer com que tanto a gasolina como o gasóleo fiquem mais caros. O agravamento será até cinco cêntimos, mas será superior no preço final. E vai elevar o peso da fiscalidade no caso da gasolina para bem perto dos 70%.


Os portugueses poderão contar com um aumento de cinco cêntimos na gasolina e de quatro cêntimos no gasóleo, disse Mário Centeno esta sexta-feira, 22 de Janeiro, na conferência de imprensa em que apresentou o esboço do Orçamento do Estado para 2016 aprovado no dia anterior em Conselho de Ministros e que será enviado a Bruxelas.


Uma subida que vai elevar o valor do Imposto Sobre Produtos Petrolíferos (ISP) para 0,671 euros no caso da gasolina e 0,446 euros no diesel. Actualmente, ascende a 0,621 euros na gasolina e 0,406 euros no gasóleo. Como o ISP é só uma parte do preço, e tendo em conta que sobre este e o valor do combustível em si recai o IVA, o aumento no preço de venda deverá será superior.


Com o novo agravamento da fiscalidade, depois da Contribuição Rodoviária, da taxa de carbono e do aumento dos biocombustíveis (que fizeram aumentar o valor obtido em IVA) em 2015, o peso dos impostos na gasolina vai tornar-se ainda mais expressivo.


Actualmente, de acordo com os dados da DGEG, com o preço médio da gasolina simples a 1,294 euros, a fiscalidade representa 66,7% do total. Ou seja, mais de dois terços. Deverá passar, mantendo-se os preços actuais, para 68,9%. E quanto mais baixar o valor, maior será o peso, isto apesar da menor receita de IVA.


Se na gasolina alcançará níveis expressivos, no diesel levará a carga fiscal a transpor a fasquia dos 60%. De acordo com as simulações realizadas pelo Negócios, aplicando o aumento do ISP aos valores médio de venda actuais do combustível simples, o peso dos impostos irá subir de 58,8% para 60,7%.




A sua opinião68
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado jupiter20001 22.01.2016

Como nos combustiveis e eletricidade ninguém faz greves, podem carregar à vontade nos impostos. Para depois darem um pequeno aumento nas pensões...Tiram com as 2 mãos e devolvem com 1. E entretanto bloqueiam a economia, que é o objetivo numero 1 dos comunistas. Bravo!

comentários mais recentes
Anónimo 01.02.2016

Mas como raio é legal colocar IVA sobre imposto?!?!

Anónimo 25.01.2016

Quem votou na xuxa ria que se aguente, não tenho pena nenhuma. É preciso muito dinheiro para alimentar toda a fauna que vive do bolo dos impostos.

Anónimo 25.01.2016

Quem votou na xuxa ria que se aguente, não tenho pena nenhuma. É preciso muito dinheiro para alimentar toda a fauna que vive do bolo dos impostos.

Anónimo 25.01.2016

Quem votou na xuxa ria que se aguente, não tenho pena nenhuma. É preciso muito dinheiro para alimentar toda a fauna que vive do bolo dos impostos.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub