Mercados num minuto Abertura dos mercados: Bolsas e euro em alta, petróleo acima dos 35 dólares

Abertura dos mercados: Bolsas e euro em alta, petróleo acima dos 35 dólares

As bolsa europeias abriram em alta esta quinta-feira, com a bolsa de Lisboa a acompanhar esta tendência positiva. A impulsionar a bolsa nacional está a Galp Energia, numa altura em que o petróleo negoceia acima dos 35 dólares por barril. O euro avança face ao dólar.
Abertura dos mercados: Bolsas e euro em alta, petróleo acima dos 35 dólares
Reuters
Inês F. Alves 04 de fevereiro de 2016 às 08:40

Os mercados em números

PSI-20 soma 0,55% para 4.950,23 pontos

Stoxx 600 avança 0,82% para 332,12 pontos

Nikkei desvalorizou 0,85% para 17.044,99 pontos

"Yield" a 10 anos de Portugal soma 2,0 pontos base para 2,950%

Euro avança 0,15% para 1,1121 dólares

Petróleo soma 0,63% para 35,26 dólares por barril, em Londres


As bolsas europeias seguem em terreno positivo, com o Stoxx 600 a somar 0,82% para os 332,12 pontos. O índice espanhol IBEX avança 1,58% para os 8.445,90 pontos e o germânico Dax avança 1% para os 9.529,16 pontos.

O sentimento é positivo também na bolsa de Lisboa, que soma 0,55%, impulsionada pela Galp Energia e pelo BCP. A petrolífera negoceia acima do 10,8 euros por acção, isto numa altura em que o petróleo também avança. O Brent negociado em Londres soma 0,63% para os 35,26 dólares por barril.

Juros abaixo dos 3%

Os juros da dívida portuguesa a 10 anos somam 2,0 pontos base, para os 2,950%, em linha com os juros de Espanha, que avançam 1,4 pontos base para os 1,564%. Já a "yield" alemã avança também 2,0 pontos base para os 0,295%.

Euro mantém-se acima da fasquia de 1,10 dólares

A somar 0,15% esta quinta-feira, a moeda única europeia segue a negociar nos 1,1121 dólares. O euro estende os ganhos desta quarta-feira, dia em que ultrapassou pela primeira vez este ano a fasquia dos 1,10 dólares.

 

Petróleo negoceia nos 35 dólares

A matéria-prima avança, impulsionada pela queda do dólar e possibilidade de uma reunião de emergência entre os produtores de petróleo que visa travar a queda dos preços do petróleo.

O Bloomberg Dollar Index caiu 1,7% esta quarta-feira, o maior recuo desde Março de 2015, tornando os preços das "commodities" mais atractivos para os investidores, escreve a Bloomberg. Por outro lado, segundo informações avançadas pelas autoridades venezuelanas, seis membros da Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e outros dois não-membros concordaram marcar presença numa reunião extraordinária de produtores, cuja data não está fixada.

O Brent, negociado em Londres e preço de referência para a Europa, soma 0,63% para os 35,26 dólares por barril. O West Texas Intermediate, negociado em Nova Iorque, avança 0,81% para os 32,54 dólares.

Ouro com avanço ligeiro

A matéria-prima segue a valorizar 0,03% para os 1.143,00 dólares, numa altura em que as perspectivas de um eventual aumento dos juros pela Reserva Federal norte-americana penalizam o dólar e beneficiaram as "commodities".

Destaques do dia

Lucros da Portucel sobem para 196 milhões em 2015O volume de negócios do grupo bateu recordes no ano passado com a valorização do dólar. O investimento da produtora de pasta e papel triplicou.


Só um em cada dez fundos escapa à razia nas bolsas
A instabilidade que se vive nos mercados neste arranque de ano está a ditar rendibilidades negativas em quase 90% dos fundos nacionais. Só alguns produtos de menor risco escapam à "razia", numa altura em que cresce o investimento dos aforradores.


Santander vai pôr o Banif a dar lucro no final do ano
O Santander Totta comprometeu-se a ter lucros com o património que comprou ao Banif já este ano. Mais negócio nos novos clientes, revitalização de clientes desactivados e sinergias de custos são as linhas de actuação.

Governo garante a Bruxelas redução do défice estrutural. Equipas técnicas chegaram a entendimento sobre o valor das medidas e ainda há divergências quanto à natureza e momento em que devem ser contabilizadas. Mas mesmo com a interpretação de Bruxelas, o défice estrutural está já a cair 0,1 pontos.

O que vai acontecer hoje

Banco de Inglaterra. O banco central realiza a reunião de política monetária.

  1. Resultados. A Royal Dutch Shell e a ING estão entre as empresas que divulgam os resultados do quarto trimestre de 2015. O fundo soberano da Noruega também publica o relatório anual.
  2. FMI. A directora-geral do FMI, Christine Lagarde, faz um discurso sobre os mercados emergentes na Universidade de Maryland, nos EUA.


Dados económicos nos EUA.
Os EUA publicam os dados semanais referentes aos novos pedidos de subsídio de desemprego na semana terminada a 30 de Janeiro. Serão também conhecidas as encomendas na indústria, em Dezembro.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Helder Há 2 semanas

Hoje só dá Pharol. Hoje alguém vai ganhar umas massitas. Eu apontaria o faroleiro.

pub
pub
pub
pub