Mercados num minuto Abertura dos mercados: China leva bolsas mundiais a novos máximos. Petróleo sobe

Abertura dos mercados: China leva bolsas mundiais a novos máximos. Petróleo sobe

O bom desempenho da economia chinesa está a sustentar os ganhos das bolsa europeias. A expectativa sobre a reunião do BCE está a provocar uma queda nas "yields" das obrigações e na cotação do euro. O petróleo valoriza pela sexta sessão.
Abertura dos mercados: China leva bolsas mundiais a novos máximos. Petróleo sobe
José Manuel Ribeiro/Reuters

Os mercados em números

PSI-20 perde 0,07% para 5.298,88 pontos

Stoxx 600 ganha 0,23% para 387,74 pontos

"Yield" a 10 anos de Portugal cede 2 pontos base para 3,13% 

Euro desvaloriza 0,24% para 1,1442 dólares

Brent sobe 0,67% para 49,24 dólares

 

Bolsas sobem pela sétima sessão 

As bolsas continuam a negociar com sinal mais neste arranque de semana, desta vez impulsionadas pelos dados económicos positivos vindos da China. O MSCI All Coutry World Index (que mede o desempenho das principais acções em 23 mercados desenvolvidos e 24 mercados emergentes) valoriza 0,1%, registando a sétima sessão consecutiva de ganhos para atingir novos máximos históricos.

 

Na Europa, o Stoxx 600 ganha 0,23% para 387,74 pontos, depois de a China ter revelado que o PIB cresceu 6,9% no segundo trimestre, acima do esperado pelos economistas (6,8%).

 

Em Lisboa, o PSI-20 já inverteu da tendência de ganhos, estando o PSI-20 a descer 0,07% para 5.298,88 pontos, pressionado pela correcção do BCP, que cede 3,79% para 0,249 euros, depois de na semana passada ter disparado para máximos de Agosto do ano passado.

 

Juros aliviam antes de reunião do BCE 

Os juros da dívida pública na Europa estão em queda, com os investidores já de olhos postos na reunião do Banco Central Europeu, sendo elevada a expectativa sobre as declarações de Mario Draghi, depois de o presidente da autoridade monetária ter há três semanas, em Sintra, efectuado declarações que provocaram uma subida acentuada dos juros, sobretudo das obrigações alemãs.

 

No arranque da semana a "yield" das obrigações do Tesouro a 10 anos cede 2 pontos base para 3,13%, enquanto o juro dos títulos alemães com a mesma maturidade cai 1 ponto base para 0,59%.  O "spread" da dívida portuguesa está assim a baixar 1 ponto base para 254 pontos base.

 

Euro perde terreno 

A expectativa sobre a reunião do BCE está também a influir no mercado cambial, sendo que a Reuters avançou que a autoridade monetária vai manter o discurso de deixar em aberto a continuação do programa de compra de activos. Uma posição que está a enfraquecer a moeda europeia, que desce 0,24% para 1,1442 dólares.

   

Petróleo avança pelo sexto dia 

Os preços do petróleo estão a avançar pela sexta sessão consecutiva nos mercados internacionais. Em Nova Iorque, o West Texas Intermediate ganha 0,62% para 46,83 dólares por barril. Já em Londres, o mercado de referência para as importações nacionais, cada barril de Brent do Mar do Norte segue a valorizar 0,67% face a sexta-feira, sendo transaccionado por 49,24 dólares.

 

A justificação para as oscilações é, segundo adianta a agência Bloomberg, a expectativa de que a procura que se antecipa para os próximos meses vai conseguir conter a oferta, ainda que os Estados Unidos estejam a aumentar a produção petrolífera.

 

Ouro ganha pela segunda sessão

O ouro está igualmente a avançar esta segunda-feira, mantendo a tendência positiva que já tinha verificado no final da semana passada. O ouro segue a subir 0,13% para 1.230,28 dólares por onça.

 

Por um lado, os dados da China foram positivos e trazem optimismo sobre a segunda maior economia do mundo. Por outro lado, os indicadores revelados relativamente aos Estados Unidos, como a queda nas vendas a retalho, apontam para que o dólar, em que é denominado o metal precioso, não venha a ser prejudicado por um eventual aumento das taxas de juro, já que a expectativa é de que possa vir a ser adiado.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
BCP e tudo o vento LEVOU Há 6 dias

APESAR dos resultados EM portugal e na polonia terem QUADRIPLICADO EM RELAÇÃO AO 1 TRIMESTRE mesmo ASSIM já coseguiram DESTRUIR aquilo que o desgraçado do BCP tinha AMEALHADO na outra semana

pub
pub
pub
pub