Mercados num minuto Abertura dos mercados: Europa em alta ligeira à espera de Trump. Juros de Itália aliviam

Abertura dos mercados: Europa em alta ligeira à espera de Trump. Juros de Itália aliviam

As bolsas europeias estão em alta ligeira, com os investidores a aguardarem a decisão de Trump sobre as novas tarifas à China. Os juros descem na Europa, e o dólar desvaloriza antes dos dados do emprego.
Abertura dos mercados: Europa em alta ligeira à espera de Trump. Juros de Itália aliviam
Reuters
Rita Faria 07 de setembro de 2018 às 09:12

Os mercados em números

PSI-20 desce 0,10% para 5.256,94 pontos

Stoxx 600 sobe 0,09% para 373,82 pontos

Nikkei desvalorizou 0,8% para 22.307,06 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos caem 0,2 pontos para 1,879%

Euro soma 0,14% para 1,1640 dólares

Petróleo em Londres ganha 0,12% para 76,59 dólares o barril

 

Bolsas europeias em alta ligeira à espera de Trump

A maioria das bolsas europeias está a negociar em alta ligeira esta sexta-feira, 7 de Setembro, com o mercado a aguardar a decisão da Casa Branca sobre as novas tarifas às importações da China.

 

Terminou na quinta-feira o período de consulta pública sobre o plano de Trump de aplicar novas sanções sobre 200 mil milhões de dólares de bens da China, e o presidente dos Estados Unidos já tinha avisado que a medida iria mesmo avançar quando terminasse este período. No entanto, até ao momento a Casa Branca ainda não fez qualquer anúncio.

 

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, sobe 0,09% para 373,82 pontos, depois de ter atingido ontem o valor mais baixo desde Abril. As acções europeias têm sido penalizadas não só pela guerra comercial mas também pelos receios em torno dos emergentes.

 

A bolsa de Amesterdão e de Lisboa são as únicas que escapam à tendência positiva. O PSI-20 desce 0,10% para 5.256,94 pontos, pressionado sobretudo pelo BCP, que desliza 0,68% para 24,83 cêntimos.

 

Juros de Itália aliviam em dia de Eurogrupo

Os juros da dívida de Itália, que têm oscilado ao sabor das notícias sobre os planos orçamentais do governo para o próximo ano, estão a aliviar das fortes subidas recentes, depois de o la Repubblica ter noticiado que o ministro da Economia e das Finanças, Giovanni Tria, quer assegurar que o défice não vai exceder os 1,6% do PIB. É essa a mensagem que o responsável deverá passar aos parceiros do Eurogrupo esta sexta-feira.  

 

A yield associada às obrigações italianas a dez anos desce 5,0 pontos para 3,009%, enquanto em Espanha, no mesmo prazo, os juros caem 0,5 pontos para 1,444%. Em Portugal, a yield recua 0,2 pontos para 1,879%, e na Alemanha, pelo contrário, avança 0,5 pontos para 0,359%.

 

Dólar em queda antes dos dados do emprego

O índice que mede a evolução do dólar face às principais congéneres está a cair pela terceira sessão consecutiva, antes de serem divulgados os dados do emprego, esta sexta-feira.

 

Os números poderão ser determinantes para validar a expectativa de uma nova subida dos juros este mês, dando sinais importantes sobre a evolução do mercado de trabalho dos Estados Unidos. Os economistas estimam que seja anunciada, às 13:30, a descida da taxa de desemprego para 3,8% (valor mais baixo desde 1969) em Agosto e a criação de 192 mil postos de trabalho

 

A moeda única europeia ganha 0,14% para 1,1640 dólares.

 

Petróleo em alta com saldo negativo na semana

O petróleo está a negociar em alta ligeira nos mercados internacionais. Ainda assim, deverá completar esta sexta-feira a maior queda semanal desde meados de Julho, penalizado pela crise que atingiu os mercados emergentes.

 

Nesta altura, o West Texas Intermediate (WTI), negociado em Nova Iorque, ganha 0,18% para 67,89 dólares, enquanto o Brent, transaccionado em Londres, soma 0,12% para 76,59 dólares.

 

Ouro pouco alterado

O ouro está pouco alterado esta sexta-feira, com os investidores a aguardarem a decisão da Casa Branca sobre as tarifas e os dados do emprego, que poderão confirmar as expectativas em torno das próximas subidas de juros por parte da Fed.

 

Nesta altura, o metal amarelo desliza 0,06% para 1.199,26 dólares, enquanto a prata cai 0,22% para 14,1229 dólares.

 




pub